Os Estados Unidos vão colocar a imagem de uma mulher numa nota pela primeira vez em mais de um século, quebrando a ‘tradição’ de estampar homens brancos considerados heróis políticos.

O Departamento do Tesouro anunciou hoje que uma mulher, que ainda não foi escolhida, é a mais provável “vencedora da nossa democracia inclusiva” para surgir nas notas de dez dólares a partir de 2020, substituindo Alexander Hamilton, o primeiro secretário do Tesouro.

Apenas duas vezes antes foram escolhidas mulheres para aparecerem em divisas de papel norte-americanas.

Martha Washington, a mulher de George Washington, esteve nas notas de 1 dólar nos anos 1880 e 1890. Pocahontas, uma mulher indígena norte-americana ligada ao estabelecimento colonial em Jamestown, surgiu entre um grupo de pessoas nas notas dos anos 1860.

O secretário do Tesouro, Jacob Lew, disse que a mulher nas notas de dez dólares será escolhida pelo Departamento do Tesouro após serem reunidas as ideias do público “sobre quais as melhores qualidades que representam a democracia”.

Lew disse que a mudança vai acontecer no 100.º aniversário do sufrágio das mulheres, quando as norte-americanas ganharam o direito ao voto.

“As nossas notas — e as imagens de grandes líderes americanos e os símbolos que eles representam — há muito que são uma forma de honrarmos o nosso passado e expressarmos os nossos valores”, disse.