A final do Europeu de sub-21, entre Portugal e a Suécia, vai ser antecedida por um minuto de silêncio em memória do antigo futebolista checo Josef Masopust, anunciou  a UEFA.

“O Comité Executivo da UEFA vai cumprir um minuto de silêncio em memória de Masopust na sua reunião desta segunda-feira, em Praga. A final do Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA, que se realiza esta terça-feira na capital checa, entre Suécia e Portugal, será igualmente precedida por um minuto de silêncio”, lê-se no comunicado do organismo.

Josef Masopust, vencedor da Bola de Ouro em 1962, morreu hoje, em Praga, aos 84 anos, vítima de doença prolongada, anunciou o Dukla de Praga.

O ‘cavaleiro do futebol’, como era conhecido pelo seu ‘fair-play’, superou na eleição para o troféu, que então premiava o melhor futebolista da Europa, o português Eusébio, segundo classificado, tendo sido até à consagração de Pavel Nedved, em 2003, o único checo a vencer o prémio.

Josef Masopust, que nasceu em 09 de fevereiro de 1931, em Strimice, uma pequena cidade do norte da Boémia, que já não existe, marcou dez golos nas 63 ocasiões que vestiu a camisola da seleção principal, entre 1954 e 1966, tendo jogado no Dukla de Praga e terminado a carreira nos belgas do Molenbeek.

Conquistou oito títulos de campeão como jogador e uma como treinador, do Zbrojovka Brno, em 1978, foi ainda selecionador da Checoslováquia, entre 1984 e 1988.

Masopust deu vantagem à seleção checoslovaca na final do Mundial1962, vencida pelo Brasil, por 3-1, tendo estado também no terceiro lugar do Euro1960.

Apenas aos 37 anos teve autorização do regime comunista para abandonar o Dukla, um clube militar criado sob um modelo soviético, tendo alinhado durante três temporadas no Molenbeek.

Em dezembro de 2000, foi eleito o melhor futebolista checo do século XX, numa sondagem organizada por uma revista nacional de desporto, dois anos antes de ter sido erigida uma estátua em sua homenagem, em frente ao estádio do Dukla, em 2012, por ocasião dos 50 anos do Mundial 1962.