O banco britânico Barclays está em “negociações avançadas” com um banco espanhol para vender a unidade portuguesa, escreve esta quinta-feira a Bloomberg citando três fontes conhecedoras do processo. Segundo a agência noticiosa, um dos interessados na unidade é o espanhol Bankinter.

A venda da unidade portuguesa de banca de retalho há muito que faz parte dos planos do Barclays. Já em maio de 2014 o antigo presidente-executivo, Anthony Jenkins, garantiu que as operações de banca de retalho na Europa continental eram para vender. Este responsável acabou, este mês, por ser demitido, perante a impaciência da restante administração em relação ao ritmo a que a reestruturação do banco estava a ser feita.

Vão continuar, contudo, em Portugal as operações de cartões de crédito. Mas todas as outras deverão, agora, ser vendidas. E o Bankinter, cuja presidente-executiva disse recentemente que o banco teria, neste momento, uma “atitude mais compradora do que vendedora”, poderá ser a instituição com quem o Barclays estará prestes a chegar a um acordo.

Quanto ao preço, deverá ser menos do que o valor contabilístico do banco, diz a Bloomberg, ou seja, menos do que aquele valor que se estima que os investidores poderiam receber se liquidassem os ativos da empresa. No relatório anual da casa-mãe, o Barclays PLC, o banco escreveu que “as perspetivas de crescimento nos países do sul da Europa continuam frágeis e suscetíveis de choques externos”.

O Barclays vendeu as operações em Espanha ao CaixaBank em setembro de 2014.