Mais de um milhar de pessoas foram retiradas das águas do Mediterrâneo durante o fim de semana quando tentavam chegar à Europa, revelou no domingo a guarda costeira de Itália.

Só no domingo, foram retiradas 671 pessoas, incluindo 48 crianças, que seguiam em embarcações lotadas, em cinco operações de resgate.

No sábado, tinham já sido retirados 400 migrantes ao largo da costa da Líbia, com o auxílio da organização não-governamental Médicos sem Fronteiras.

A Itália é, com a Grécia, um dos principais pontos de chegada de milhares de imigrantes que tentam alcançar a Europa através do Mediterrâneo.

Segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, cerca de 224 mil migrantes e refugiados atravessaram o Mediterrâneo nos primeiros sete meses deste ano. Destes, 124 mil desembarcaram na Grécia e cerca de 90 mil em Itália.

No mesmo período, mais de 2.100 pessoas morreram na travessia.