António Costa começou a semana de pré-campanha eleitoral a dar explicações aos eleitores que estão indecisos nas próximas eleições legislativas. O líder socialista escreveu uma carta a pedir o voto no PS porque estas são eleições “decisivas”. A moda de enviar carta aos eleitores não é original dos socialistas, já há quinze dias, PSD e CDS tinham enviado uma carta a agradecer aos portugueses.

Na carta que foi divulgada através das redes sociais, António Costa diz que vai escrever uma carta “em capítulos” durante os próximos dias, uma vez que não terá a possibilidade de falar com todos os eleitores pessoalmente.

Neste primeiro capítulo, Costa explica o porquê de se dirigir aos indecisos, uma vez que estas vão ser eleições “decisivas”. Para o socialista, são “decisivas” por quatro aspetos.

1 – O primeiro prende-se com a necessidade de “vencer a depressão, a descrença, a resignação um sentimento de decadência nacional”, escreve e criar um “sentimento de esperança”. Isto porque, para Costa, os últimos quatro anos foram “muito duros para as pessoas” e “feriram-nos na nossa auto-estima colectiva”, escreve.

2 – Em segundo lugar, Costa puxa do argumento de que há “duas opções de fundo que estão em confronto” no que respeita ao Estado social, escrevendo que o que defende é um “modelo de desenvolvimento” e a coligação PSD/CDS mais não pretende que a “privatização dos serviços públicos”.

3 – Como terceiro argumento, Costa insiste na ideia que transmite desde que foi eleito de que é preciso “virar a página da austeridade” e salienta que a aposta do PS é no emprego.

4 – Por fim, Costa diz que é preciso “uma voz ativa na Europa”, acrescentando aquilo que pode ser interpretado como uma diferença para a Grécia: “Sem submissão nem aventureirismos”.

Carta Costa aos indecisos

Esta é a primeira carta do líder do PS aos indecisos. A carta está a ser difundida pelas novas páginas nas redes sociais para a campanha eleitoral (Twitter e Facebook) e pela página oficial da campanha. Nesta primeira missiva diz que se vai tratar de uma “conversa”, o que remete para a ideia de que vai responder a questões colocadas nas redes sociais. A despedida é feita com um “até amanhã”.