A Bulgária reforçou a segurança nas suas fronteiras com a Turquia, a Grécia e Macedónia com o envio de mais forças da polícia e do exército para enfrentar a crescente chegada de migrantes.

As patrulhas da polícia e do exército fazem controlos em todas as estradas no sul da Bulgária, que conduzem à fronteira com a Turquia, informou a agência BGNES.

As autoridades instalaram postos de controlo nas cidades mais frequentadas por turistas, junto ao Mar Negro, e nos arredores.

Segundo a agência, que cita fontes policiais, nas últimas operações as autoridades estavam a inspecionar praticamente todos os miniautocarros e camiões à procura de imigrantes escondidos nos veículos.

O exército búlgaro destacou na semana passada vários carros blindados e dezenas de soldados para os quatro pontos fronteiriços com a vizinha Macedónia, por onde passa a chamada “rota dos Balcãs” dos migrantes que procuram um país seguro na União Europeia, segundo o Ministério da Defesa búlgaro.

As autoridades da Bulgária registaram uma duplicação do número de imigrantes em relação ao ano passado.

Segundo a agência estatal para os refugiados, desde janeiro quase 10.000 pessoas pediram asilo na Bulgária e prevê-se que este número chegue aos 13.000 até final do ano.

Os requerentes de asilo neste país são oriundos sobretudo da Síria e do Iraque.

Até ao momento, nos seis centros de acolhimento que foram criados na Bulgária, estão alojadas cerca de 4.000 pessoas, metade das quais são cidadãos sírios.

Entretanto, continuam a construção de uma vala de arame farpado com 131 quilómetros de extensão ao longo da fronteira com a Turquia com o objetivo de travar a imigração ilegal, tal como a que já foi construída na Hungria, na fronteira com a Sérvia.