Depois de ter comprado a icónica boutique londrina “Browns”, com 45 anos de história, a empresa de José Neves lança mais um dado para vencer o jogo que disputa com a rival Net-a-Porter: uma nova área de negócio, a Farfetch Black & White. De que se trata? De uma plataforma de comércio eletrónico para trabalhar diretamente com as marcas de luxo.

Com esta nova área – que vai operar de forma independente – a Farfetch disponibiliza a sua tecnologia e serviços a marcas de luxo como a Roksanda Illincic, AMI, Derek Lam ou La Perla.

“A nossa especialidade é a tecnologia: construímos um API [interface], que permite flexibilidade e inovação total, e oferecer isto às marcas de forma independente do nosso ‘core business’ pareceu-nos um passo natural à medida que continuamos a crescer”, afirmou José Neves.

A startup de origem portuguesa, que foi este ano avaliada em cerca de mil milhões de dólares (e que passou a integrar o clube dos “unicórnios”), é uma empresa de comércio eletrónico de moda de luxo, com um portefólio de mais de 300 lojas multi-marca. Agora, permite que as lojas que vendem peças de uma só marca tenham também acesso a novos mercados internacionais e passem a ser parceiras da plataforma Farfetch, que chega a cerca de 190 países.

As marcas passam assim a aceder aos serviços da Farfetch, que incluem os sistemas de pagamento, proteção anti-fraude, apoio ao cliente, logística, soluções de envio de encomendas para o cliente, entre outros.