Mário Centeno, o economista que coordenou o estudo macroeconómico feito pelo Partido Socialista no seu programa eleitoral, esteve nesta terça-feira no programa “Isso é tudo muito bonito, mas”, da TVI, onde usou a ironia para descredibilizar a coligação PSD/CDS.

O economista afirmou que “a coligação tem uma tendência muito grande para jogar um jogo, O Pedro e o Lobo”, que se joga fazendo passar para as pessoas notas de culpa e de medo”. A intenção, diz, é “fazer de conta que têm um programa“.

Mário Centeno foi mais longe nos ataques ao programa eleitoral da coligação “Portugal à Frente”, e disse: “Tenho uma intuiçao. Acho que o lider do grupo [de economistas da coligação] vai ser divulgado estes dias, e é o Professor Chibanga”.

Recorde-se que o Professor Chibanga é uma personagem criada no passado pelos Gato Fedorento, que não passava de um adivinho muito pouco capaz nas previsões que fazia.

Durante o programa, Mário Centeno não se ficou pelas críticas à coligação, liderada por Pedro Passos Coelho, e trouxe ainda à discussão o vice-presidente do PSD, Marco António Costa, que Centeno apelidou de babysitter do primeiro-ministro, em quase todas as áreas. A exceção é a área-económica, onde, sugeriu Centeno, o primeiro-ministro necessita de um.

Mário Centeno aproveitou a embalagem para, quando confrontado sobre a falibilidade das previsões económicas, voltar a atacar Marco António Costa, ironizando com o facto de este dar aulas de Finanças na Universidade da JSD. “Ele que se licenciou em finanças na Câmara Municipal de Gaia, com tantos louvores e sucesso”, acrescentou.

Recorde-se que a gestão de Luís Filipe Menezes e Marco António Costa na Câmara Municipal de Gaia foi criticada pelo Tribunal de Contas. As críticas foram dadas a conhecer em Junho, depois de um relatório preliminar do Tribunal de Contas ter sido publicado na revista Visão.