Cha-ching!… Onomatopeias à parte, este deverá ser o som do dinheiro a cair no bolso da família Beckham. E quando terminar de ler este artigo, David, Victoria e a restante prole estarão ligeiramente mais ricos. O professor da London School of Marketing (LSM), Anton Dominique, usou da calculadora, deitou contas à fortuna dos Beckham, e calculou que estes enriquecem, ao ano, entre 40 e 50 milhões de euros. E quanto é que vale, em 2015, a fortuna deles? Qualquer coisa como 640 milhões de euros.

A família dos Beckham, pai, mãe e quatro filhos, não é tão rica quanto a família real britânica. Mas David, Victoria, Brooklyn, Romeo, Cruz e a pequena Harper são, até ver, mais ricos do que a rainha Isabel II. A fortuna da monarca está avaliada em 466 milhões de euros, tendo crescido 13 milhões em relação a 2014. “O nome dos Beckham tem o ‘toque de Midas’ quando o assunto é a publicidade.” É isso que conclui Dominique, da LSM.

Agora, a pergunta que se impõe: mas de onde é que vem a fortuna dos Beckham? Poder-se-ia pensar que quando David pendurou as botas, em 2013, no Paris Saint-Germain, a fortuna iria decrescer. Mas não decresceu. Nos seus tempos áureos do Manchester United e do Real Madrid, Beckham “encaixava” perto de 41 milhões de euros por ano em salários e patrocínios. Hoje, mesmo sem o cheque mensal de futebolista, recebe 68 milhões.

Mas não é só ele que trabalha para comprar o pão nosso de cada dia lá em casa. A mulher, Victoria, ex-Spice Girl, é hoje uma conceituada estilista, apresentou recentemente a sua colecção de roupa na semana de moda de Nova Iorque, e foi considerada em 2014 pela revista Management Today a empreendedora britânica do ano. O negócio de Victoria está avaliado em 82 milhões de euros.

Os dois filhos mais velhos de David e Victoria também já começam a ganhar o seu próprio dinheiro. E ainda são menores. Brooklyn tem 16 anos e é seguido por quatro milhões de utilizadores na rede social Instagram. E de que é que lhe valeu ter tanta gente de olhos nele? Ser capa da revista Miss Vogue, a versão teenager da conceituada revista norte-americana. Romeo, de 13 anos, por sua vez, foi um dos rostos (e corpo) escolhidos para integrar a campanha de Natal da marca de luxo britânica Burberry. Se foi por causa de Romeo ou não, não sabemos, mas a verdade é que as vendas da Burberry dispararam 13 por cento nessa altura.