Michel Platini

Blatter pagou a Platini antes das eleições. E Platini desistiu da candidatura

Blatter pagou quase dois milhões de euros a Michel Platini semanas antes das eleições para a presidência da FIFA em 2011 e a duas semanas de se decidir o organizador do Mundial de 2022.

AFP/Getty Images

Depois de terem sido tornadas públicas as suspeitas da Procuradoria-Geral da Suíça de um pagamento irregular do atual Presidente da FIFA, Joseph Blatter, a Michel Platini, atual Presidente da UEFA e candidato à presidência da FIFA depois do escândalo de corrupção que abalou o organismo, o timing dessa operação financeira foi também revelada. O valor do pagamento terá rondado os 2 milhões de francos suíços (cerca de 1.8 milhões de euros). Tanto Blatter como Platini foram ouvidos pelas autoridades suíças sobre esta situação. O francês na qualidade de testemunha.

No entanto, esta não a primeira vez que o antigo internacional gaulês concorre contra Blatter. Em 2011, Platini era o adversário mais forte de Sepp na corrida à presidência do órgão máximo do futebol mundial. Semanas antes de duas votações importantes, e segundo noticia o Telegraph, foi feito o tal pagamento de quase 2 milhões de euros. A primeira para decidir o novo líder da FIFA. E Platini desistiu da candidatura. A segunda, o polémico sufrágio que entregou a organização do Mundial de Futebol em 2022 ao Qatar. E Platini, que tinha prometido o voto aos EUA, votou no Qatar. O jornal britânico nota, no entanto, que não existe qualquer prova de que o pagamento efetuado tenha influenciado qualquer uma das decisões.

Para além de tudo isto, em Maio de 2011, Platini assinou um documento com carimbo da UEFA, instituição presidida pelo próprio, a apelar, às 53 federações europeias, que votassem em Sepp Blatter.

Recorde-se que, depois do escândalo de corrupção da FIFA, o francês perfilou-se, outra vez, como candidato à presidência deste órgão, prometendo até uma limpeza a todos os interesses políticos instalados. “Nós temos que nos preocupar com o jogo, não com a política. Comigo, não vai haver política. Comigo, o que interessa é o futebol, não a política… há muita gente boa no comité executivo. Só alguns são corruptos. Se fazes alguma coisa mal, tens que acartar com as consequências.”

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)