Depois da geração X, Y e Z, muito se se tem dito sobre a nova geração “selfie”. É uma brincadeira com um fundo de verdade: nunca estivemos tão centrados em nós próprios como agora e isso tem vindo a reflectir-se em todas as esferas da nossa vida. Na beleza também. Tendo em mente a geração smartphone, que veio para ficar, cada vez mais marcas de maquilhagem estão a ter o fenómeno das selfies em consideração na formulação de novos produtos. E se acha que isto não é nada de especial, saiba que quando as empresas estão na fase de testes, todos os produtos são testados em diferentes ambientes para ver como reagem: à luz do sol, sob as lâmpadas fluorescentes de um escritório ou com o jogo de luzes de uma discoteca, por exemplo. E agora, há um novo desafio: o teste smartphone.

Não é uma fase passageira

Muitas marcas de maquilhagem já têm produtos que têm em conta a luz e oferecem acabamentos que funcionam bastante bem em fotografias. Mas só agora algumas estão a começar a projectar e a criar produtos específicos para reagir com as câmaras dos smartphones. Qualquer coisa como bases que não ficam pálidas com o flash e cores frias que, na câmara, não mudam de tonalidade. Por exemplo, batons com fundo azulado (uma cor fria) criam a ilusão de dentes mais brancos. Se o baton, na selfie, perder o tom frio, isso vai tirar todo o efeito que se pretende.

Em entrevista ao The New York Times, Sarah Vickery, cientista da marca americana de maquilhagem CoverGirl, explica que “há um tipo de consumidora que está constantemente a tirar fotografias e o que realmente lhe importa, e ao seu grupo social, é como é que ela fica numa selfie. Isto é algo a que temos mesmo de prestar atenção.” 

Lisa Lamberty, da marca de cosméticos Avon, acrescenta, em entrevista ao programa Today, que esta não vai ser uma moda passageira e que a marca já anda a testar os benefícios que ela possa trazer nas vendas: “Considerar este fenómeno é a chave para manter uma vantagem competitiva sobre outras empresas de maquilhagem que sejam mais lentas a perceber esta nova tendência”, explica, acrescentando que filtros de acabamento que fiquem bem nas câmaras e em selfies são, sem dúvida, o futuro da maquilhagem.

As selfies aumentaram a venda de maquilhagem

Quantas vezes não comprou já produtos só porque os viu no Instagram de alguém e gostou do resultado? A forma como um produto de maquilhagem fica numa selfie pode afetar radicalmente as vendas. Na semana passada, a BBC escreveu que as vendas de maquilhagem de rosto, olhos e lábios lucraram 500 milhões de euros nos primeiros oito meses de 2015 e registaram um crescimento de 14% em comparação com o mesmo período do ano passado. O mercado da beleza, nos dias de hoje, depende das selfies. Estrelas do Instagram como Kim Kardashian ou Beyoncé podem fazer um produto esgotar e criar tendências que impulsionam as vendas de certos produtos.

View this post on Instagram

Selfish

A post shared by Kim Kardashian West (@kimkardashian) on

Vejamos o boom dos contornos (de que já falámos há uns meses) — não há mulher que não queira ter a maquilhagem de Kim Kardashian, um jogo de luzes e sombras que a faz ter um rosto perfeito numa selfie. Os produtos para criar contornos (iluminadores) registaram um aumento de vendas de 48,5% — algo nunca antes visto até hoje.

Os produtos a procurar

Não são só a Avon ou a CoverGirl a terem esta preocupação. Jill Tomandl, da marca norte-americana Smashbox, diz que os seus cientistas estão a trabalhar numa base e num pó de bronze que funcionem bem em todas as luzes. E embora a Smashbox não se venda em Portugal, é uma marca que construiu todo um império focado em primers e bases que atuem em qualquer luz (incluindo um flash de um smartphone) e este ano lançou o “selfie kit”, uma gama de produtos criada para aperfeiçoar a pele em selfies. Também a marca Too Faced (à venda, em Portugal, nas lojas Sephora) criou um kit de pós que imitam os filtros do Instagram, através de tecnologia de luz que dá brilho, bronze e luz à pele. E a marca Make Up Forever tem apostado na sua linha HD: uma gama de produtos especialmente concebida para funcionar em câmaras de alta definição.

Embora este ainda seja um fenómeno a começar a ser explorado por algumas marcas, já há produtos que se podem encontrar à venda e que têm alguma tecnologia amiga das selfiesTermos como “photo-ready”, “camera-ready”, “light reflecting” ou “HD” significam literalmente que aquele produto vai ajudar-nos a conseguir um resultado decente numa selfie. E estes produtos já existem no mercado, se os soubermos procurar. Nós ajudamos, na fotogaleria acima.