Para aprendermos a arte do Instagram devemos falar com os melhores. Kim Kardashian tem quase 48 milhões de seguidores e, para ela, é simples: “sê consistente e autêntico”. A estrela de televisão aconselhou os seguidores no âmbito do lançamento de quatro novas aplicações para a Apple, dela e das irmãs (Khloé Kardashian, Kourtney Kardashian, Kendall Jenner e Kylie Jenner).

Tudo o que postares vai ficar para sempre, por isso certifica-te que apoias tudo o que publicares, porque a tua marca é um reflexo de ti próprio“, sugeriu Khloe Kardashian. Fazer likes a contas de todo o mundo também ajuda, porque assim várias pessoas dispersas vão receber notificações de que aquela pessoa gostou das fotografias e isso pode gerar mais likes e mais seguidores de vários sítios. Tudo sugestões das manas experientes naquela rede social.

“Quando gostei de centenas de fotografias de contas aleatórias que nem sequer seguia, percebi que 43,26% dos meus likes e 31% dos comentários nas minhas fotografias vinham de pessoas que não eram os meus seguidores habituais”, contou Neil Patel, um empreendedor ouvido pelo Mic.

Depois, convém colocar hashtags relativamente populares porque há sempre pessoas que procuram fotografias diretamente pela hashtag. Por exemplo, #love e #me estão entre as hashtags mais populares numa lista de 25 da Post Planner. Um dos filtros mais apreciados é o “willow”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E há que sincronizar tudo. Se já tivermos Facebook, Twitter e/ou outras redes sociais, já temos uma audiência construída. Assim, é mais certo que nos vão seguir no Instagram. Mas convém continuar a alimentar todas as plataformas e colocar conteúdo diferente, e coerente, em cada uma delas. Assim, quem segue vai sentir que aquela pessoa se esforça por diversificar nos posts que coloca — e não se limita a colocar o mesmo em todo o lado.

Ah, e é importante postar frequentemente. Ninguém (ou quase ninguém) vai seguir uma conta de Instagram cuja última fotografia foi colocada há 40 semanas.