Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A tarde é de chuva. À porta da igreja de Santa Maria da Graça, em Setúbal, dezenas de padres aguardam na rua. Mesmo em frente à Sé, uma estrutura de ferro e um ecrã gigante já estão montados. Várias pessoas começam a chegar e tentam entrar na igreja. O pároco responsável pelas entradas indica que nem todos os fiéis poderão assistir à celebração, daí o dispositivo de luz e som instalado fora do recinto. 

No interior da catedral, a expetativa é grande. Para a diocese, o dia é de festa. Além de a igreja de Setúbal acolher a imagem peregrina da Nossa Senhora de Fátima é a cerimónia solene de ordenação do novo bispo. Por isso, o altar está decorado com flores e nas naves laterais, as 400 cadeiras já se encontram preparadas para receber os vários bispos do país. 

No ano de comemoração dos 40 anos da criação da diocese de Setúbal, D. Gilberto Canavarro dos Reis, bispo de Setúbal, anunciou a resignação do seu cargo apostólico por ter atingido os 75 anos de idade. Nesse momento, o Papa Francisco nomeou José Ornelas Carvalho, de 61 anos, ex-superior geral dos Dehonianos. 

Na Sé, o relógio marca 15h20, mas a chegada da imagem religiosa está atrasada. Enquanto esperam, os membros da assembleia ensaiam a música de entrada. Entretanto, os sinos começam a tocar e a imagem entra na Sé, ao som do cântico alusivo às aparições de Fátima. Os bancos reservados às instâncias do poder local e leigos, com responsabilidades pastorais, estão tomados. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois deste momento, é a vez de o futuro bispo entrar na nova casa pastoral. Novamente, os sinos tocam a rebate e inicia-se o cortejo, composto por todos os bispos convidados e membros do clero vicarial. Por fim, chega José Ornelas Carvalho, acompanhado por D. Manuel da Silva Martins, D. Gilberto Canavarro dos Reis e D. Manuel Clemente, cardeal patriarca de Lisboa, que presidirá à cerimónia. De sorriso no rosto, José acena e é recebido com uma salva de palmas proveniente de uma multidão de fiéis. Vários tentam aproximar-se e tirar uma fotografia. 

A celebração da ordenação episcopal tem início com a saudação de boas-vindas ao novo bispo, proclamada pelo Monsenhor João José Aires Lobato, vigário geral da diocese de Setúbal. Seguidamente, a missa dominical prossegue com a liturgia. As portas continuam abertas e é anunciado que cerca de 100 pessoas podem entrar. No total, o recinto fica preenchido com 700 pessoas, embora 1500 ainda permaneçam a assistir pelo ecrã multimédia. 

Lidas as leituras e o Evangelho começa a liturgia da ordenação. Com a assembleia de pé, o eleito é apresentado pelo bispo ordenante principal, D. Manuel Clemente, cardeal patriarca de Lisboa. Do púlpito é lido o mandato apostólico pelo núncio apostólico em Portugal, ou seja, a entidade que representa o Papa Francisco no nosso país.

Natural de Porto da Cruz, na Madeira, José Ornelas Carvalho provém da Congregação Dehoniana dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus, no qual exerceu a função de superior provincial. Antes de receber a nomeação do Papa Francisco, o pároco preparava-se para partir em missão para África, mas resignou, optando pela condução da diocese de Setúbal. “Não te imponho, mas peço-te que sejas o próximo bispo de Setúbal”. Foram estas as palavras proferidas pelo Papa Francisco, aquando da sua nomeação. “Assim que fui notificado pelo Papa, aceitei de coração inteiro esta missão como um dom de Deus”, explicou José.

Após o eleito ser apresentado à comunidade pastoral, José prostrou-se diante dos membros do clero, ao som da ladainha de todos os santos, cantada pelo pároco Rui Rosmaninho, responsável pela paróquia de Santa Maria da Graça e São Julião, em Setúbal. Na segunda parte do ritual, o pároco missionário ajoelhou-se e todos os bispos presentes colocaram as mãos na sua cabeça, abençoando-o.

Minutos depois, já de pé, José foi ungido com o óleo santo, recebeu o anel de bispo e o Evangeliário (livro sagrado) pela mão de D. Manuel Clemente. Em seguida, foi distribuída a comunhão. Durante esse período, foi entoado pelo coro um cântico a várias vozes, em latim. Terminada a música, o recém-empossado recebeu ainda a mitra, a insígnia pontifical em forma de chapéu colocada na cabeça, e o báculo (cajado), que relembra a função do bispo de conduzir os caminhos dos seus fiéis.

Com um novo estatuto, D. José dirigiu-se pela primeira vez àquela que será a sua nova comunidade. Começou por agradecer a presença dos membros do clero, autoridades locais e população leiga. “Todos somos chamados a servir e a igreja deverá ir ao encontro dos mais pobres e necessitados”, afirmou, garantindo ser esta uma das propostas da sua missão. 

A cerimónia terminou com a leitura e a assinatura da ata de ordenação de D. José Ornelas Carvalho, nomeado pelo Papa Francisco a 24 de agosto de 2015. À saída, muitos procuram cumprimentar D. José ou fazer uma fotografia, a fim de registar a efeméride para a igreja da península de Setúbal.