Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabaco é a principal causa de morte evitável no mundo e mata cerca de seis milhões de pessoas por ano. Mais de cinco milhões dessas mortes são resultado direto do tabaco enquanto cerca de 600 mil resultam da exposição que os não-fumadores sofrem ao fumo.

Deixando de lado a lista de todos os malefícios do tabaco — se fuma, deve estar farto de os ler nos maços –, para além da ligação direta com o cancro, doenças de pulmão e de coração, o fumo está associado ao envelhecimento precoce. E se acha que esta palavra — envelhecimento — é um problema com que se pode preocupar mais tarde, nem sabe o mal que anda a fazer à sua pele.

Os efeitos do tabaco na pele

Para assinalar o Dia Mundial do Não Fumador, que se celebra a 17 de novembro e procura sensibilizar as populações para os fatores de risco associados ao consumo de tabaco, falámos com João Abel Amaro, coordenador da Unidade de Dermatologia do Hospital Lusíadas de Lisboa que nos explicou que, para além de acelerar o processo de envelhecimento, o fumo tem ação direta nas rugas, na perda de elasticidade, no aparecimento de manchas, na pele seca, na flacidez (porque fumar diminui a síntese do colagénio e desencadeia o stress oxidativo que ataca as fibras elásticas da pele), na vasoconstrição dos capilares sanguíneos (que diminui o aporte de oxigénio e nutrientes aos tecidos) e na coloração desigual (fruto da má circulação).

Um fumador crónico tem um tom pálido e macilento, acinzentado e com toque áspero e frio. E mais: fumar potencia os efeitos nocivos da exposição solar excessiva, provocando um envelhecimento cutâneo mais profundo.”

Para dar um exemplo concreto, uma pessoa que fume desde nova vai aparentar, quando chegar aos 50, o equivalente a um extra de 14 anos de envelhecimento da pele. E esses 14 anos extra vêm com tudo aquilo a que têm direito: pés de galinha profundos, linhas verticais ao redor da boca (também chamadas de linhas de fumador), flacidez, tom baço e papos nos olhos. E isto são só alguns exemplos. Segundo a organização ASH (Action on Smoking & Health) os fumadores de 40 anos têm tantas rugas quanto os não fumadores de 60.

NEW YORK - FEBRUARY 07: A model smokes backstage at the Chaiken Fall 2006 fashion show during Olympus Fashion Week at Bryant Park February 6, 2006 in New York City. (Photo by Paul Hawthorne/Getty Images)

O fumo tem ação direta nas rugas, na perda de elasticidade, no aparecimento de manchas, na pele seca e na flacidez. Foto: Paul Hawthorne/Getty Images

5 cigarros fazem tanto mal quanto 15

Estatísticas da British Heart Foundation mostram que, apesar de toda a informação, o número de pessoas a deixar de fumar está a abrandar e é fácil pensar que apenas uns cigarros por dia não fazem assim tanto mal. Mas este é um dos grandes erros. Uma notícia publicada no jornal britânico Daily Mail diz que uma pessoa que fume entre um e 14 cigarros por dia está oito vezes mais exposta a uma série de malefícios do que uma pessoa não fumadora. Por isso, 5 cigarros por dia fazem tanto mal como 15.

E não é só o rosto que sofre as consequências. Uma publicação da organização ASH explica que os fumadores armazenam quantidades anormais de gordura corporal devido ao efeito do fumo sobre o sistema endócrino. Isto leva a uma maior acumulação de gordura em torno da cintura, barriga e ancas. Se não percebe porque não consegue perder aquela gordura por mais exercício que faça, pode estar aqui a explicação.

10 razões porque fumar estraga a pele

Se ainda não ficou convencido, a revista americana Health juntou 10 razões porque fumar vai arruinar a sua aparência, no rosto e no corpo:

  • OlheirasQuem fuma está quatro vezes mais propenso a ter olheiras e papos sob os olhos. Estudos do centro Johns Hopkins afirmam que a falta de nicotina durante a noite faz com que as pessoas durmam mal e o corpo esteja sempre a virar e a agitar-se.
  • Psoríase: Esta é uma condição auto-imune que pode aparecer mesmo em não-fumadores mas, para quem fuma há 20 anos, o risco de vir a sofrer desta doença é 60% maior.
  • Dentes manchados: A nicotina é dos principais causadores das manchas amareladas nos dentes.
  • Dedos das mãos amarelados: Não são só os dentes e as paredes de casa: fumar deixa os dedos e as unhas acastanhados e amarelados.
  • Cabelo fraco: Os fumadores têm cabelo mais fino e o tabaco potencia duas vezes mais a calvície nos homens. Além disso, também acelera o aparecimento de cabelos brancos.
  • Perda de dentes: Como se os dentes amarelados não fossem o maior problema, um estudo do Journal of Clinical Peridontology mostrou que os fumadores estão seis vezes mais propensos a desenvolver doenças gengivais que levam à perda dos dentes.
  • Pele baça: O fumo do cigarro contém monóxido de carbono, que retira o oxigénio na pele, e nicotina, que reduz o fluxo sanguíneo, o que deixa a pele seca e baça. Além disso, o tabaco também anula muitos nutrientes, incluindo a vitamina C, que ajuda a proteger e a reparar os danos da pele. 
  • Aumenta o aparecimento de estrias: A nicotina danifica as fibras da pele, fazendo-a perder elasticidade e força. O que significa que as estrias, aquelas linhas vermelhas e brancas, vão aparecer mais rapidamente sempre que tiver flutuações de peso.
  • Barriga flácida: É o pesadelo de qualquer pessoa — homens e mulheres — e os estudos indicam que os fumadores têm mais gordura visceral do que os não fumadores.
  • Envelhecimento acelerado: Esta é a consequência de que já está farto de ouvir falar. Ainda assim, se calhar não sabe que, de ano para ano, os fumadores vão envelhecendo uma média de 1,4 anos. E isso traduz-se em tudo aquilo que dissemos no início deste artigo.

Não seria mais fácil, simplesmente, deixar de fumar?

Para pôr fim ao vício, João Abel Amaro aconselha a uma redução drástica do número de cigarros por dia para menos de cinco, evitar inspirar o fumo e tentar passar gradualmente para apenas um “vício de boca”, reforçar a ingestão de frutos e legumes ricos em vitaminas A e C e ainda evitar a exposição simultânea à luz solar intensa.