Fragmentos de tartaruga, dentes de crocodilo, ossos e dentes de peixes, pterossauros (répteis voadores do tempo dos dinossauros) e dinossauros Baryonyx e do tipo dos iguanodontes – raros em Portugal -, muitos deles novos na fauna pré-histórica portuguesa, foram encontrados na Formação do Papo-Seco, no Cabo Espichel. As descobertas foram publicadas na revista científica Journal of Iberian Geology.

A maior parte dos fósseis foram encontrados no mesmo estrato, mostrando que seria uma zona de depósito, como as águas calmas de uma lagoa, frequentadas por animais marinhos, visitada por animais terrestres e que poderia receber animais que fossem arrastados pelas águas, como terá acontecido com algumas espécies de dinossauros carnívoros terrestres.

Estratos

Os vários estratos com fósseis na jazida paleontológica Areias do Mastro, com exemplos dos vertebrados encontrados. [Sandstone – arenito; marl – marga; limestone – calcário] – Figueiredo et al. (2015) Journal of Iberian Geology

Esta formação geológica tem entre 127 e 129,4 milhões de anos – início do Cretáceo – e constitui uma mistura de antigos depósitos lagunares e estuarinos. É caracterizada por camadas horizontais estratificadas de arenitos, embora também apresente calcários ricos em argila (margas), e é, naturalmente, composta por bivalves (conchas) e gastrópodes (do grupo dos caracóis).

O Centro Português de Geo-História e Pré-História tem realizado escavações na Formação de Papo-Seco desde 1999, mas esta é a primeira vez que publicada da jazida paleontológica Areias do Mastro – uma pequena praia no fundo de uma falésia do Cabo Espichel, na península de Setúbal.