Kate Middleton fez esgotar o vestido que usou no momento em que ficou noiva e tantos outros depois disso; a pequena Charlotte só não foi pelo mesmo caminho com o vestido das suas últimas fotografias oficiais porque a marca ficou sem tecido. Já o vestido amarelo que Michele Obama usou no seu último State of the Union enquanto primeira-dama esgotou online ainda o discurso do presidente não tinha acabado. Estava a faltar um ícone masculino que fizesse disparar as vendas com os visuais escolhidos para momentos especiais. El Chapo desenrascou o assunto, como aliás faz sempre.

Quando se encontraram para a entrevista para a Rolling Stone, El Chapo não perdeu a oportunidade de tirar uma fotografia com o oscarizado Sean Penn, e o ator não desperdiçou o aperto de mão ao barão da droga, El Chapo. Se Penn preferiu o normcore da t-shirt preta, El Chapo foi pelos motivos florais sobre barras azuis — mais cor a lembrar o estilo mexicano descontraído.

Como disse Coco Chanel, “a moda tem a ver com ideias, com a maneira como vivemos”, lembra o site da Barabas, a marca masculina sediada em Los Angeles e que vende esta camisa. Os seus modelos são marcados pela cor e pelos padrões, tanto florais como geométricos.

A camisa não esgotou — pode ainda ser comprada online por 128 dólares (cerca de 117€) — mas a marca está a tentar capitalizar o seu mais famoso cliente e as vendas estão a correr muito bem. Ao abrir o site, a primeira imagem é a tal foto de El Chapo e Penn com a legenda “most wanted shirt” — a camisa mais procurada.

Aquele que já foi considerado um dos homens mais ricos do mundo pela revista Forbes veste marcas acessíveis, tal como as princesas em tempo de austeridade. “Estamos contentes porque ele poderia comprar qualquer coisa — podia comprar Versace, qualquer outra marca — mas escolheu a nossa, os nossos modelos”, disse Shawn Esteghbal, dono da loja, ao The Guardian.

Para além da rede de droga que gere, El Chapo alimenta setores como o da engenharia — o túnel iluminado e ventilado por onde fugiu é um exemplo inequívoco disso mesmo. Agora, a moda espera lucrar com a figura deste homem e com o seu estilo latino, pouco discreto. Que consequências é que isto tem para a imagem das marcas que El Chapo usa? “Nós só estamos a fazer roupas”, diz Esteghbal, cuja marca tem como lema a frase de Eleanor Roosevelt: “A filosofia de uma pessoa não está nas suas palavras, mas nas escolhas que faz.”