Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Joaquín Guzman Loera – mais conhecido por El Chapo – foi visto pela última vez no sábado à noite, quando foi tomar banho na sua cela da prisão de Altiplano, no centro do México. Depois, desapareceu sem deixar rasto. Na zona do duche foi encontrado um buraco com 50 centímetros de largura e 10 metros de profundidade ligado a um escadote. Entrando pelo fosso, chegava-se a um túnel com 1,5 quilómetros de comprimento que ligava a cela a um edifício fora da área prisional. El Chapo tinha escapado de novo. E esta é a história de como o narcotraficante mais famoso do mundo fugiu pela segunda vez em 14 anos de uma prisão de alta segurança mexicana.

A mesma proeza tinha sido realizada pela primeira vez em 2001, quando escapou de uma prisão de alta segurança num camião de limpeza, com a ajuda de alguns funcionários da prisão de Puente Grande, onde esteve preso desde 1993, conta a CNN. Quando foi apanhado, a 22 de fevereiro de 2014 num resort, El Chapo, o cabecilha do cartel de Sinaloa, era o criminoso mais procurado pelo México e pelos Estados Unidos. Quando voltou a ser posto atrás das grades, a sua detenção foi considerada o maior golpe infligido ao narcotráfico no México em dez anos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Agora, sob mandato internacional da Interpol (a Organização Internacional de Polícia Criminal), Joaquín El Chapo está a ser procurado pelos polícias da organização em mais de 100 países, que o tentam encontrar “em centrais de camionagem, aeroportos e portos marítimos”, informa a agência EFE. O alerta foi emitido no domingo, imediatamente após o cabecilha de Sinaloa ter sido dado como desaparecido e a cela, “que se encontrava vazia”, verificada, comunicou a Comissão Nacional de Segurança do México.

Começou pois, a caça ao homem. Outra vez. O Presidente mexicano Enrique Peña Nieto transmitiu este domingo aos jornalistas – evitando referir-se a Joaquín El Chapo pelo nome – que se encontrava “profundamente perturbado” pelo “evento extremamente infeliz que estava a revoltar o México”, e que se iniciaria uma investigação para averiguar se algum dos funcionários da prisão teria ajudado à sua fuga, informa a CNN. As autoridades já garantiram que em breve El Chapo estará de volta à prisão de segurança máxima.

Quem é ‘El Chapo’, um dos criminosos mais poderosos do Mundo?

Nascido em 1957, Joaquín Guzmán Loera, conhecido como El Chapo, iniciou a sua carreira criminal na década de 1980 como adjunto de Miguel Ángel Félix-Gallardo, chefe do cartel de Guadalajara. Após a detenção do seu mentor em 1989, Joaquín fundou a sua própria organização em Sinaloa, o seu Estado natal. A sua alcunha significa “baixinho”, descrição que faz jus à sua estatura: 1,5 metros de altura.

O cartel de Sinaloa foi considerado pelo Departamento de Justiça norte-americano como “um dos mais prolíferos, violentos e poderosos cartéis de droga”. A organização era conhecida por construir túneis usados para o tráfico de droga e por ser responsável por cerca de 25% do total de drogas ilegais que entravam nos Estados Unidos através do México, refere a ABC.

El Chapo, “um dos cabecilhas de organizações de droga mais poderosos do mundo até à sua detenção em fevereiro de 2014”, segundo a CNN, foi também considerado um dos homens mais ricos do mundo pela Forbes. Especialistas em combate ao tráfico de droga estimaram, “de forma conservadora”, que as receitas do cartel de Sinaloa ascendiam aos 3 mil milhões de dólares anuais.

Depois da sua última evasão da prisão, em 2001, foi revelado que Joaquín Guzmán Loera tinha conseguido corromper todo o sistema prisional da prisão de Puente Grande, localizada no Estado ocidental de Jalisco. Setenta e um funcionários foram acusados de cumplicidade, inclusive o diretor. Como refere a revista The New Yorker este domingo: “Se um homem consegue comprar assim a sua liberdade no México hoje em dia, então não há nada no país que não esteja para venda”.