La culebra vai rastejar para o outro lado da Segunda Circular e foi o Sporting a confirmá-lo. Os leões anunciaram ao final da tarde desta terça-feira que o internacional peruano já assinou um contrato com o Benfica para, a partir da próxima época, jogar pelos encarnados. O vínculo durará cinco temporadas, até ao final de 2020/21, e confirma aquilo que há semanas se começou a suspeitar após os meses e meses em que André Carrillo esteve encostado a um canto no Sporting depois de não renovar contrato com o clube.

Vem a Sporting Clube de Portugal, Futebol, SAD comunicar que foi formalmente informada pelo Benfica da assinatura de um contrato de trabalho desportivo com o atleta André Carrillo de 1/7/2016 a 30/6/2021.

Com o avançar dos meses, e escutando o bate-boca entre o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o empresário de André Carrillo, Elio Casareto, tornou-se evidente que só a custo (ou nem assim era possível um acordo) o extremo peruano renovaria o seu contrato com o Sporting, que termina a 30 de junho. O processo disciplinar que o Sporting instaurou ao jogador — impedindo-o de se treinar com o plantel principal e acusando-o de “má-fé” (a ele e a Casareto, claro) no processo de renovação — em outubro, terá sido o transbordar do copo à mesa das negociações. Bruno de Carvalho acusou mesmo o empresário de agendar e desmarcar reuniões sucessivamente em Alvalade.

André Carrillo, mesmo que arredado da competição desde o começo da época — o último encontro que disputou foi a 13 de setembro, em Vila do Conde com o Rio Ave –, seria livre de assinar, em janeiro, por quem bem entendesse. E interessados nunca lhe faltaram e muito se falou do Sevilla e do Atlético Madrid. Por cá, pairou sempre no ar o hipotético interesse de FC Porto e do Benfica. Ouviu-se falar que os dragões seriam os mais atentos às peripécias do peruano com o Sporting — o empresário Elio Casareto é próximo da SAD azul e branca e não varas vezes era visto a assistir a jogos nos camarotes do Dragão –, mas o Benfica terá visto na contratação de Carrillo uma espécie de retaliação à contratação de Jorge Jesus por parte de Bruno de Carvalho.

Vidente ou não, a verdade é que foi outro presidente a avisar que tudo isto estava prestes a acontecer. Na passada sexta-feira, em declarações à SIC e ao Porto Canal, Pinto da Costa já dera o negócio como feito. O presidente do FC Porto revelou que alguém tinha pegado no telemóvel para o alertar que o peruano e o Benfica era uma relação quase consumada:“Telefonaram a avisar que o Carrillo estava a assinar pelo Benfica e perguntaram se o FC Porto estava interessado.” No entanto, Pinto da Costa fez-se saber fora da disputa. “Não quero saber nada disso, não quero saber dos outros. Se quer assinar pelo Benfica, faz ele muito bem”, defendeu, na altura.

Os jornais que escrevem noutra língua ainda avançaram que André Carrillo estaria em Espanha, a treinar com um preparador físico, e que fora visto a fazer testes médicos numa clínica do Atlético de Madrid. A imprensa espanhola suspeitava que os colchoneros fossem uma ponte que o peruano teria de percorrer para, eventualmente, chegar ao Benfica por empréstimo, na próxima temporada. Parecia credível, já que o Atlético estaria proibido pela FIFA de contratar jogadores até ao final de 2016 e, se quisesse ir às compras, teria que ser agora.

A lógica aconselhava a pensar que um eventual negócio com os colchoneros avançaria mesmo e Carrilo voltaria a competir já em janeiro para, no verão, chegar ao Benfica. Pelos vistos, era tudo invenção e as suspeitas apareceram na passada quarta-feira, quando a magia dos telemóveis com câmara fotográfica e das redes sociais se juntou e mostrou André Carrilo a sair de um prédio da avenida Álvares Cabral, em Lisboa, onde funciona um escritório de advogados, à mesma hora que Luís Filipe Vieira. Os dois não foram fotografados a reunir-se, mas uma imagem vale mais do que mil palavras. E estas acabam por dizer isto: agora sim, é certo que Carrillo vai ser jogador do Benfica já a partir da próxima época.