Quando o chef José Avillez abriu o Cantinho do Avillez no Porto e, mais tarde, anunciou a sua recriação da francesinha, a Internet teve uma espécie de congestão. Houve palavrões, quem sabe algumas lágrimas. “Eu chamar-lhe-ia Sanduíche Fabulosa do Avillez e ficaríamos todos de acordo”, dizia no Twitter um internauta, tentando acalmar os ânimos. “Tudo a reclamar da Francesinha do Avillez e eu aqui a espumar-me toda porque quero provar!”, contrapunha outra.

A Francesinha que no menu do Cantinho do Avillez vem descrita como “uma das especialidades do Porto à nossa maneira” custa 12,50€ e aparece na secção de snacks. Dizer que é diferente da receita tradicional é um eufemismo. Para começar, o molho é de trufa. O pão é alentejano tradicional tostado, barrado com manteiga de trufa. Lá dentro encontramos carne de cachaço de porco laminada, que vai previamente ao forno, mortadela de trufa, linguiça, chouriço de porco preto, um ovo e, a cobrir, queijo da serra.

José Avillez pode ter puxado até ao limite as regras que os portuenses toleram que sejam quebradas no que toca ao prato que é quase bandeira da cidade, e que publicações internacionais como o Condé Nast Traveler ou o AOL Travel já consideraram uma das 10 melhores sanduíches do mundo. Mas há muita criatividade à espreita nos restaurantes da Invicta. O Observador mostra seis petiscos e pratos criativos que dão à francesinha outro ar, outro sabor e, na maioria das vezes, outro nome.

Burguesinha (e bifezinha)

bbGourmet

À audição, o nome deste prato faz lembrar a canção de Seu Jorge. À vista, parece um hambúrguer. A segunda impressão está mais perto da verdade: a burguesinha é a receita de francesinha do grupo bbGourmet e há cinco diferentes, uma por cada restaurante. São elas a burguesinha de bife de vitela picado e linguiça, burguesinha de vitela fumada e salsicha fresca, burguesinha de frango, burguesinha de vitela assada e burguesinha de porco. Custam todas 7,50€ (menos 1€ nos centros comerciais, por não haver serviço de mesa) e estão disponíveis nos cinco restaurantes, variando conforme a época.

“É tudo artesanal e feito por nós, do molho ao pão. Até a vitela é fumada por nós”, explica ao Observador Fernanda Santos, responsável técnica do grupo. O molho é o tradicional, com cerveja, vinho do Porto, caldo de carne e também um caldo de legumes.

Mais recentemente, com a abertura do novo restaurante do grupo em agosto, o mais criativo 1858 bbGourmet, a chef Elisabete Pinto criou a bifezinha. O prato leva bife de alcatra, fiambre e queijo gratinado, regado depois com molho de francesinha. Pão é que nem vê-lo.

bbGOURMET Maiorca: Rua Antonio Cardoso, 301 (Campo Alegre), 226092003. Também existem restaurantes no Bolhão, em Cedofeita e nos centros comerciais Península e Arrábida Shopping

3 fotos

Francesinha Dois Dedos

Porta ‘O Lado

Quando o Observador foi provar a criação deste bar e restaurante, aberto em junho do ano passado, viu um homem terminar o petisco, agarrar no pequeno tacho onde vem o molho e bebê-lo como se de uma cerveja se tratasse. O molho deste snack é saboroso o suficiente para que se cometam destes pecados. A francesinha dois dedos do Porta’O Lado vem em cima de uma tábua de madeira e apresenta-se com duas sandes cortadas em triângulos de pão de forma tostado. Lá dentro cabe um bife bem tenro, queijo e linguiça. Custa 5€ e dá para dividir entre amigos.

O molho é uma receita do chef de serviço, Bruno Alves, que revela ao Observador parte da receita (“mas não vou dar o segredo todo”, avisa logo). Tudo começa com um refogado (ou, para os portuenses, estrugido) de cebola, alho, azeite e bacon. Junta-se um naco de carne de vaca, de preferência com osso, vinho branco, aguardente vínica, piripíri, pimentão-doce, molho inglês e um pouco de polpa de tomate. Depois vem a cerveja e é nesta altura que o molho fica a apurar e a reduzir. Tira-se de seguida a carne, passa-se tudo na varinha mágica e, no final, adiciona-se um pouco de caldo de marisco.

Por cada francesinha dois dedos vem um tachinho do molho a acompanhar, mas chega para molhar o petisco com fartura — contando que não haja gulosos para beber tudo de golada.

Rua Campo dos Mártires da Pátria, 53 (Baixa). 91 844 6977

porta o lado francesinha

A francesinha dois dedos do Porta’O Lado dá para partilhar, mas é difícil ver um destes pedaços fugir para outras mãos. (foto: © Carlos Mendes Pereira / PUNCTUM)

Francesinha em massa de pizza

O Mercado

À primeira vista parece um calzone. Mas basta meter a faca e o garfo para perceber que o recheio tem pouco de italiano: meio bife de vaca, mortadela, fiambre, linguiça, salsicha fresca, tudo coberto por queijo derretido. Exatamente, é uma francesinha. Ou uma espécie de. Cozinhada a forno de lenha e regada com o molho da casa, a francesinha em massa de pizza d’O Mercado, desenvolvida pelo chef Luís Américo do famoso Forneria São Pedro, é a grande atração este espaço, aberto em 2012.

A francesinha normal custa 10€, mas existe ainda uma versão mais pequena, por 8,50€. A francesinha em massa de pizza é, de resto, um prato que se pode encontrar também em vários restaurantes italianos da cidade, como a Forneria ou o novo Portarossa.

Mercado Ferreira Borges, Praça do Infante, 95. 93 527 4541

francesinha hard cub

Parece um calzone, mas é a francesinha que se pode comer no Hard Club.
(foto: © Nuno Moreira / Divulgação)

Sandinha

Mercado Bom Sucesso

Apresenta-se como a francesinha que se come à mão. Para aqueles que já se estão a imaginar com cinco nódoas na camisa: nada temam. É mais fácil de comer do que a descrição faz parecer. A Sandinha estreou-se há precisamente um ano no renovado Mercado Bom Sucesso e pôs portuenses e turistas a comer o tradicional prato em doses mais pequenas, com receitas variadas.

André Regueiro e Luís Mesquita Brito disponibilizam quatro opções. A sandinha original leva carne assada e todos os restantes ingredientes que os clientes esperam encontrar na sanduíche tradicional, como linguiça, salsicha fresca e mortadela. A sandinha da horta é uma opção vegetariana com cogumelos frescos, tomate e cebola. Existe ainda uma edição especial, com presunto, chutney de manga e queijo brie, e uma sandinha pensada para crianças, com carne assada, fiambre e salsicha de cachorro. Todas são servidas em pão bijou e custam 3,50€.

Praça do Bom Sucesso, 132 (Boavista). 91 421 6937

sandinha

A sandinha é para comer à mão e quem quiser repetir não vai ficar com fama de guloso (são pequenas). (foto: © João Bento Soares / Divulgação)

Bocado de francesinha

Terminal 4450

No menu deste novo restaurante dedicado aos pratos de carne encontramos, na categoria de snacks, este bocado de francesinha. Servido em pão bijou, leva linguiça, fiambre, queijo, bife do lombo e salsicha fresca. “É uma receita tradicional feita por nós que fui roubar à minha mãe”, explica ao Observador Ricardo Rodrigues, um dos proprietários.

O molho é forte em bebidas alcoólicas. A base é de cerveja e leva também vinho do Porto, uísque e o brandy Macieira, aos quais se junta mostarda. Há quem use caldo de marisco, mas no Terminal 4450 a base é de carne. Custa 7€.

Avenida Doutor Antunes Guimarães, 4450 Leça Da Palmeira (antigo terminal de passageiros do Porto de Leixões), 919851933

francesinha terminal 4450

O snack de francesinha do Terminal 4450. (foto: © Divulgação)

Francesinha

Restaurante DOP

O chef Rui Paula serve francesinha no seu restaurante, sim. Mas, como é óbvio, não podia ser mais uma francesinha. Para começar, é uma entrada. Depois, é servida em pão de forma cortado em triângulos, com bife do lombo e os tradicionais enchidos. Para derreter por cima a escolha foi para o queijo mozzarella. O toque final, e o segredo de qualquer boa francesinha, é o molho, que neste caso é de carne e lavagante. Custa 14€.

Palácio das Artes, Largo de S. Domingos, 18 (Ribeira), 22 201 4313

francesinha DOP (1)

Para o DOP, Rui Paula criou uma francesinha servida como entrada. (foto: © Divulgação)