A justiça belga acusou mais um homem de participação em atividades terroristas no âmbito da investigação sobre a tentativa de atentado que decorreu na quinta-feira em Paris, anunciou este domingo o Ministério Público. Trata-se de Abderamane Ameroud, o homem que foi detido na sexta-feira durante uma mega operação policial no bairro de Schaerbeek e que foi ferido a tiro numa perna.

Abderamane estava detido desde sexta-feira, tendo a sua prisão sido prolongada até sábado, altura em que o Ministério Público fez a acusação formal de “participação em atividades de grupo terrorista”.

De acordo com o jornal belga L’Echo, Abderamane é um cidadão franco-argelino de 37 anos. Há dez anos, o suspeito foi condenado em França a sete anos de cadeia por cumplicidade no assassinato de Ahmad Shah Massoud, um comandante político-militar afegão morto a 9 de setembro de 2001. Esta detenção tem especial importância, uma vez que prova pela primeira que pode haver ligação entre as diferentes gerações de jihadistas, levando a crer que as primeiras vagas de jihadistas do Afeganistão podem estar a juntar-se às novas células terroristas do Estado Islâmico.

É já o segundo homem acusado formalmente de terrorismo no âmbito da investigação franco-belga sobre o atentado que na última quinta-feira foi desmantelado em Paris, uma investigação que as autoridades estão a separar do inquérito aos atentados de Bruxelas. Rabah N. foi o primeiro homem que apareceu ligado a esta investigação, tendo sido este sábado acusado formalmente pelo Ministério Público.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

França diz ter impedido uma tentativa de atentado “em estado avançado” quando deteve, na quinta-feira, o francês Reda Kriket, um homem de 34 anos. Kriket foi condenado no ano passado na Bélgica, juntamente com Abdelhamid Abaaoud, o suposto líder dos ataques a Paris em novembro do ano passado.

Em relação aos atentados de Bruxelas, o Ministério Público belga acusou ontem dois homens de atividades terroristas: Fayçal Cheffou, o homem do chapéu que esteve por detrás dos atentados do aeroporto, e Aboubakar A., outro dos homens detidos na quinta-feira à noite em Bruxelas.