Maria Strydom, uma professora universitária australiana de 34 anos, morreu depois de quase conseguir escalar o Monte Evereste até ao topo. A professora estava a fazer a subida acompanhada pelo seu marido, Robert Gropel, que a deixou quinze minutos sozinha para ir até ao pico da montanha. A professora morreu no dia 20 de maio, enquanto descia o Evereste, acompanhada pelo marido.

Maria Strydorm e Robert Gropel faziam parte de uma expedição que estavam a realizar a subida até ao topo do Monte Evereste. O grupo estava quase a atingir o topo do Monte Evereste, a montanha mais alta do mundo com 8.848 metros de altura, quando a professora afirmou não conseguir completar a subida. O marido perguntou a Maria se esta se importava que ele continuasse até ao fim e a mulher disse a Gropel para continuar. “De onde estávamos até ao topo não parecia faltar muito, só uns 15 minutos”, explicou o homem ao The Guardian, afirmando ainda: “Quando cheguei ao topo do Evereste, não foi nada de especial, porque não a tinha ao meu lado.”

Robert ter-se-á apressado a voltar para junto da mulher para descerem juntos. Robert conta que, quando começaram a descer, Maria tinha dificuldades em andar e que tinha a fala atabalhoada. Os sherpas – nativos dos Himalaias que auxiliam os montanhistas a escalarem as montanhas – levaram garrafas de oxigénio e medicamentos para ajudar Maria que pareceu melhorar durante um bocado, mas que acabou por colapsar e foi impossível reanimá-la.

Gropel confessou ao The Guardian: “Eu sou o marido dela, é o meu dever proteger a minha mulher e levá-la para casa e por isso parece-me natural culpar-me a mim próprio. Ainda não consigo olhar para fotografias dela. Parte-me o coração.”

A professora universitária e o marido eram vegans — pessoas que não se alimentam de carne ou peixe nem de derivados de animais — e queriam escalar a montanha mais alta de cada continente. Maria Strydom queria provar “que os vegans são capazes de fazer tudo e mais ainda”.

O corpo de Strydom foi transportado para baixo pelos sherpas e depois um helicóptero levou o corpo para Kathmandu, a capital do Nepal, na sexta-feira, dia 27 de maio.

Robert Gropel sofreu um edema pulmonar, mas recebeu alta rapidamente. Outro dos montanhistas que acompanhava o grupo, Eric Arnold, um holandês de 36 anos, faleceu durante a descida.