“Claro”, “objetivo” e “bem estruturado”. É desta forma que a presidente da Associação de Professores de Português, Maria Edviges Ferreira, qualifica o exame nacional de português, realizado esta quarta-feira, por mais de 75 mil alunos do 12.º ano.

A prova era completamente clara e objetiva e cumpria rigorosamente com os conteúdos programáticos”, começou por dizer a professora, que esteve a realizar a prova ao mesmo tempo que os alunos.

O primeiro grupo trazia um texto do Felizmente há Luar “que todos os professores analisam em aula no 12.º ano”. “Portanto, não era um texto desconhecido para os alunos e as perguntas estavam bem estruturadas.” E no caso do Camões lírico, esse “não implicava propriamente o conhecimento do autor, nem das linhas temáticas. Conseguia-se facilmente resolver”. A parte da escolha múltipla também “não suscitava dúvidas”.

Comparada com a do ano passado, esta prova era “muito mais equilibrada e não havia motivo para os alunos terem dúvidas. Aparentemente terá melhores resultados, pois era muito mais objetiva”, rematou Maria Edviges Ferreira.