Para Adrien a “ambição e a confiança” da seleção portuguesa de futebol continua intacta, apesar de ainda não ter vencido no Euro 2016, e excluiu a possibilidade de Portugal ficar já pelo caminho na fase de grupos.

“Claro que existe alguma tristeza. Não merecíamos estar nesta situação com o esforço que temos vindo a desenvolver. Fica o sabor amargo de não ver o trabalho ser recompensado, mas a equipa não baixa os braços”, afirmou Adrien em conferência de imprensa, minutos antes de mais um treino de Portugal no Centro Nacional de Râguebi, em Marcoussis, França.

Para o médio do Sporting, o discurso de “ambição e confiança” continua a existir no seio da seleção nacional e no pensamento dos jogadores está só a vitória na quarta-feira frente à Hungria.

“O empate nem nos passa pela cabeça. Não faz parte da nossa mentalidade nem demonstra a nossa qualidade que temos vindo a apresentar”, disse o jogador de 27 anos.

Adrien considerou que Portugal necessita de “dar continuidade ao bom trabalho” e apenas “ajustar alguns pontos para melhorar ainda mais” frente aos húngaros, num encontro que vai decorrer em Lyon.

“O mais importante é preocupar-nos com o nosso jogo. Se não tivessemos criado nenhumas oportunidades nos dois primeiros jogos, então sim seria motivo de preocupação”, disse.

Entretanto, Raphael Guerreiro e André Gomes falharam o treino da seleção, devido a dores musculares nas coxas, a dois dias do terceiro e último jogo do Grupo F do Euro2016, com a Hungria.

O lateral e o médio não participaram na sessão que teve lugar no Centro Nacional de Râguebi, em Marcoussis, uma vez que se deslocaram a uma clínica nos arredores de Paris para fazerem exames que permitam avaliar a extensão das mialgias.

Fernando Santos contou, assim, com 21 jogadores no apronto, sendo que, nos 15 minutos abertos aos jornalistas, os jogadores de campo titulares frente à Áustria (exceção feita a André Gomes e Raphael Guerreiro), que tinham sido poupados na véspera, limitaram-se a fazer alongamentos e trabalho ligeiro com bola.

Já os restantes atletas foram inseridos num outro grupo, treinando normalmente e de forma mais intensa, apurando o controlo e a circulação de bola, sob a supervisão do treinador Ilídio Vale.

À semelhança do que sucedeu antes da partida com os austríacos (0-0), Portugal abdicou do treino de adaptação ao Parque Olympique Lyonnais, estádio que vai acolher o encontro de quarta-feira, com a Hungria, em Lyon.

Desta forma, a seleção nacional vai treinar em Marcoussis na véspera do jogo, seguindo depois para Lyon, onde o selecionador e um jogador falarão em conferência de imprensa.

Portugal não saiu de um ‘nulo’ no sábado, diante da Áustria, registando o segundo empate no mesmo número de jogos na fase final do Euro 2016.

Em caso de triunfo face à Hungria, a seleção das ‘quinas’ garante um lugar nos oitavos de final e será primeira se a Islândia não vencer a Áustria ou se, nesse caso, acabar com melhor diferença de golos do que os nórdicos, para já em vantagem, face ao total de golos marcados (2-2 contra 1-1).

O empate também poderá valer a qualificação direta, no segundo lugar, se Islândia e Áustria também empatarem e Portugal marcar, pelo menos, mais um tento do que os islandeses. Em caso de derrota, ‘adeus’ Euro2016.

O terceiro posto também poderá valer um lugar nos ‘oitavos’, dependente dos resultados dos outros agrupamentos, já que, além dos dois primeiros dos seis grupos, qualificam-se ainda os quatro melhores terceiros.