O ministro da Cultura anunciou esta sexta-feira a aprovação de cinco candidaturas para requalificação de património na zona Norte no valor de 8,2 milhões de euros, ao abrigo do programa de fundos comunitários Portugal 2020.

Em Guimarães, a presidir à cerimónia de inauguração das obras de requalificação da Torre de Menagem do Castelo da cidade, Luís de Castro Mendes salientou que as intervenções aprovadas, a realizar até 2018, são “bem demonstrativas” da boa colaboração entre autarquias e direções regionais.

Segundo revelou o titular da pasta da Cultura, 2,5 ME serão investidos na requalificação dos castelos raianos de Montalegre, Monforte em Chaves, castelo do Outeiro, em Bragança, Castelo do Mogadouro, castelo de Miranda do Douro.

O mesmo montante será destinado a “dar continuidade” às intervenções de consolidação do edificado já anteriormente realizado nos mosteiros de Arouca, Grijó, Rendufe, Tibães, Pombeiro e Vilar de Frade.

“Também com investimento de 2.5 milhões de euros vamos consolidar a rota das catedrais, um projeto para promover e consolidar o projeto nacional iniciado em 2009”, enumerou.

A segunda fase das obras de “valorização” da Igreja de Sta Clara no Porto terá também um investimento de 2 milhões de euros.

“Intervenções bem demonstrativas da forma exemplar como se tem realizado através da direção regional a colaboração com as autarquias e da forma como Estado deve articular-se com a sociedade e as autoridades regionais”, considerou o ministro.

Luís Castro Mendes salientou ainda a importância dos fundos comunitários, isto no dia em que o Reino Unido votou pela não continuidade no projeto europeu.

“A intervenção na Torre de Menagem Foi possível graças aos fundos europeus e isso faz-me fazer lembrar como a Europa é necessária”, disse.

As obras de requalificação daquele monumento vimaranense tiveram um custo total de 430 mil euros e serviram para dotar a torre de “melhores condições de acessibilidade e segurança”.

Além da reabertura do acesso à Torre, foi ainda inaugurada uma nova exposição, “Do Condado ao Reino: Centro Interpretativo do Castelo de Guimarães”, que enquadra historicamente o Condado Portucalense e a posterior formação do Reino de Portugal, retrata a origem do Castelo de Guimarães e apresenta ainda imagens e representações de D. Afonso Henriques, o primeiro rei português.