Fernando Santos deu este sábado a última conferência de imprensa antes da final de Paris e pediu aos portugueses para acreditarem tanto como ele. O selecionador português não gostou de uma pergunta que sugeria que Portugal-França não era a melhor final, mas estava bem-disposto e até disse que espera que os franceses continuem a dizer que Portugal vence sem merecer…

“Disse há muito tempo, antes do Campeonato da Europa, que Portugal era um dos candidatos a disputar a final”, começou por dizer esta tarde. “Sempre disse que havia três favoritos: os campeões em título, da Europa [Espanha] e mundo [Alemanha], e a França, que joga em casa e tem uma seleção enorme.”

Para Fernando Santos é “natural” que a França seja favorita. “É uma condição normal. De ser favorita a ter de ganhar é outra história. Aí acredito que Portugal vai ganhar.” A seguir ouviu uma pergunta que o deixou menos sorridente, ficou sério, carrancudo. “Não era a melhor final? Então qual era a melhor!? Não é a melhor final porquê?”, questionou.

“Os jogadores franceses que jogam são muito experientes, jogam nos melhores clubes do mundo. Didier Deschamps é um senhor experiente, é um grande senhor do futebol mundial”, disse. O selecionador gaulês poderá ser o primeiro a conseguir conquistar o título europeu como treinador e jogador (2000). O alemão Berti Vogts, na teoria, conseguiu esse feito, ao ganhar como jogador em 1972 e como treinador em 1996. A diferença é que o defesa não foi utilizado em 1972.

“Acredito que Portugal vai marcar a história na final. (…) Era natural que fosse um percurso ascendente, só podia. [Desejo] que os portugueses acreditem tanto como eu e como os jogadores, como o staff e o presidente [da FPF].”

O selecionador português foi depois questionado sobre a forma como a imprensa francesa tem catalogado Portugal, com adjetivos menos simpáticos. A resposta foi pronta, e relaxada: “Eu quero é que continuem a dizer a mesma coisa, que Portugal não sei quê, que Portugal não sei que mais. ‘Portugal ganhou sem merecer’, espetáculo! Ia todo contente para casa…”

Fernando Santos lembrou ainda que foi treinador de Ronaldo “há 13, 14 anos no Sporting”, altura em que o meteu na apresentação da equipa no novo estádio contra o Manchester United. No dia seguinte ele foi embora e não voltou. “Era um jogador impressionante. Nunca parou de evoluir, quer sempre mais. Fica zangado com ele quando as coisas não funcionam bem.”

E o que esperar amanhã na final contra a França? “Vai haver muita concentração, grande vontade, grande determinação, um empenho, como se diz lá na nossa terra, alma até almeida…”