O ministro das Finanças britânico, Philip Hammond, disse que a Escócia não deverá ter uma relação diferente da do resto do Reino Unido com a União Europeia (UE), após a votação favorável ao ‘Brexit’.

Em declarações à BBC Escócia, afirmou que a votação pela saída do Reino Unido do bloco europeu no referendo de 23 de junho é uma “decisão democrática” tomada por todo o país, que será agora aplicada.

A população escocesa votou a favor da permanência na UE e a líder do Partido Nacional Escocês, Nicola Sturgeon, disse que fará o possível para manter a relação da Escócia com a União, tendo adiantado inclusivamente que estuda a possibilidade de convocar um segundo referendo sobre a independência da nação.

Segundo Hammond, o melhor futuro para a Escócia é “dentro da economia do Reino Unido”.

Nomeado na quarta-feira pela nova primeira-ministra britânica, Theresa May, em substituição de George Osborne, o ministro das Finanças disse ainda que o ‘Brexit’ não significa que o Reino Unido volte as costas à Europa, ou feche as portas aos vizinhos e parceiros europeus.

“Significa trabalhar o mais estreitamente possível com eles para beneficiar da cooperação económica, comercial e das oportunidades de negócios sem termos de ser membros da construção política da UE”, disse Hammond.