O que se sabe até ao momento

  • Um camião conduziu contra uma multidão de pessoas que celebrava o dia da Bastilha na avenida Promenade des Anglais, em Nice, França, esta quinta-feira por volta das 23h00 (22h00 em Lisboa). Este é um dos locais mais movimentados da cidade, com várias esplanadas, restaurantes e lojas. Havia um espetáculo de fogo-de-artifício e muitas crianças na rua.
  • O homem foi identificado como Mohamed Lahouaiej Bouhlel, um francês de origem tunisina de 31 anos, adiantou o Nice Matin;
  • O veículo de 19 toneladas avançou em alta velocidade sobre as pessoas durante cerca de dois quilómetros (que completou em 45 segundos) e o condutor disparou uma arma sobre a multidão antes de ser abatido pela polícia. No interior, foram encontradas mais armas, mas seriam caçadeiras falsas, e uma granada inoperacional;
  • Até às 15h01, desta sexta-feira, havia 84 mortos, segundo o ministro do interior francês, Bernard Cazeneuve. Entre as vítimas mortais há pelo menos 10 crianças. Estes números são ainda provisórios;
  • 200 feridos, sendo que pelo menos 52 estão em estado grave e 25 ligados a sistemas de suporte de vida. Entre os feridos há um português, confirmou um porta-voz do secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro.
  • Entre as vítimas mortais contam-se já três alemães, dois norte-americanos, doiss arménios, dois marroquinos, um russo, um suíço, um ucraniano e uma jovem cabo-verdiana.
  • A polícia estará a procurar possíveis cúmplices do ataque. Toda a região de Côte d’Azur está em alerta vermelho de terrorismo;
  • O Presidente francês, François Hollande, estendeu por mais três meses o estado de emergência que seria levantado depois do fim da Volta à França em, bicicleta, no dia 26 de julho. Depois do ataque desta quinta-feira, o estado de emergência só será levantado em outubro;
  • Hollande afirmou que vai “reforçar” as ações militares na “Síria e no Iraque”;
  • Hollande presidiu a uma reunião extraordinária do Conselho de Segurança esta sexta-feira;
  • Foi decretado um luto nacional entre 16 e 18 de julho;
  • O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, afirmou que as medidas de segurança em França tinham sido reforçadas para as celebrações do dia da Bastilha em várias cidades francesas, incluindo na cidade de Nice.
  • A esposa de Mohamed Lahouaiej Bouhlel foi detida esta manhã pelas autoridades.

O que não se sabe ainda

  • Ainda não houve nenhuma reivindicação do ataque, embora se suspeite que tenha sido um ataque terrorista;
  • Não há confirmações de que existam cúmplices;
  • Não se sabe se há conexões entre o incidente em Nice e outros ataques que ocorreram em França nos últimos meses. Desconhecem-se, para já, ligações ao Estado Islâmico.
  • Não há registo de vítimas mortais portuguesas, além da informação de que existe um português ferido.

Acompanhe no nosso liveblog o desenvolvimento dos acontecimentos em Nice, atualizado em tempo real.

Artigo atualizado sexta-feira às 16h34.