O grupo de que fazia parte Hugo Abreu, que morreu durante o treino, tinha estado a realizar um “carrossel” – um aquecimento para a “prova de tiro” a que o Exército chegou a fazer referência em comunicado.

Os homens são levados ao limite das suas forças físicas, até entrarem em exaustão, antes de serem conduzidos para uma simulação de combate. “Para testares uma pessoa tens de quebrá-la”, diz um instrutor dos Comandos.

Leia aqui o artigo completo deste Especial do Observador.