Hoje em dia vai sendo cada vez mais difícil encontrar uma mulher que nunca tenha feito extensões — de unhas, pestanas ou cabelo. Porque são fáceis de fazer, rápidas q.b. (uma hora para unhas, uma e meia para pestanas e uma tarde para o cabelo) e na rotina diária acabam por facilitar e muito o dia-a-dia. As unhas mantêm-se perfeitas durante três semanas, as pestanas com um olhar “va-va-vummm” e os cabelos compridos e de manutenção diária rápida. Mas… E depois? O que é que toda esta facilidade faz realmente?

Extensões: os contras

  • Unhas: São formadas por células de queratina que têm uma consistência endurecida. A sua função é proteger a extremidade dos dedos. Mas quando fazemos extensões de gel e, depois, as retiramos, o ato de “descascar” acaba por remover as camadas superiores destas células. Em consequência, as unhas ficam com manchas brancas, irregularidades na textura e extremamente frágeis — é sinal que foram danificadas.
  • Cabelos: Não são as extensões em si que fazem mal, mas sim a forma como são aplicadas e o peso que vão ter. Qualquer extensão que seja mais pesada que o próprio cabelo vai danificar e partir o folículo capilar graças à pressão que coloca no couro cabeludo.
  • Pestanas: O maior risco é o peso que, ao longo do tempo, as extensões vão fazer sobre as pálpebras, o que danifica as pestanas naturais e as torna finas. Em casos mais graves pode mesmo fazer com que as pestanas naturais caiam e não voltem a nascer.

Como tratar das unhas depois das extensões

Se usou, nos últimos meses, extensões de unhas de gel, agora quer retirá-las e tem as suas unhas naturais danificadas, finas e descoloradas, eis o que pode fazer:

  • Use diariamente um fortalecedor de unhas. Já existem em marcas comuns como OPI, Essie e Maybelline.
  • Tire férias do verniz e deixe as unhas recuperarem ao natural (vão estar feias e com manchas, é verdade, mas é apenas uma fase).
  • Use um óleo de cutículas todos os dias, mesmo sem verniz. Isso vai hidratar a unha e a pele à sua volta e ajudar a que as células danificadas se voltem a “unir”. Vai também melhorar a aparência da unha.
  • Mantenha as unhas curtas porque, assim, vão recuperar mais rapidamente.

Como tratar das pestanas depois das extensões

É possível que, quando disser adeus às pestanas, os seus olhos pareçam nus. Mas se quer mesmo voltar a tirar partido das suas pestanas naturais, eis o que pode fazer:

  • Use um sérum de pestanas que vai ajudar no seu fortalecimento e crescimento. Como estamos a falar de uma zona sensível — os olhos — procure por marcas conhecidas e credíveis como Vichy, Peter Thomas Roth (à venda nas lojas Sephora) ou Mavala.
  • Opte por máscaras que simulem a aparência de pestanas preenchidas e longas. Pode também usar um primer (como o Little Black Primer de Estée Lauder que, além de pintar as pestanas, vai maximizar o efeito da máscara e fixar o alongamento).

Como tratar do cabelo depois das extensões

Se está na hora de remover as extensões e voltar ao seu cabelo natural, é normal que ele esteja danificado, frágil, sem brilho, pontas duplas e raízes fracas. Pode parecer um desastre mas eis o que pode fazer:

  • Inicie um tratamento de nutrição dos fios. O mais fácil será mesmo fazer um tratamento no salão, indicado para nutrir, reparar e revitalizar cabelo danificado.
  • Terá de ter uma rotina de cuidado bastante suave porque os fios vão estar extremamente sensíveis. É uma boa altura para experimentar o “co-wash” ou, se não está pronta para ser radical, deixe pelo menos dois dias de intervalo entre as lavagens.
  • Escolha produtos de lavagem suaves para cabelo danificado e, duas vezes por semana, aplique máscara de tratamento.
  • Evite ao máximo os secadores, os ferros de styling ou qualquer tratamento químico (colorações ou alisamentos). Lembre-se que o seu cabelo deve descansar, pelo menos, durante um mês.
  • No dia-a-dia, esqueça os rabos-de-cavalo ou qualquer penteado que crie pressão nas raízes.