O presidente executivo do Deutsche Bank terá falhado a tentativa para chegar a um acordo com o departamento de justiça norte-americano para resolver a investigação à negociação irregular de produtos estruturados nos Estados Unidos. A notícia está ser avançada pelo jornal alemão Bild na sequência de uma reunião que se terá realizado esta sexta-feira em Washington onde participou o presidente executivo (CEO) do banco alemão, John Cryan.

O objetivo da reunião era negociar um acordo sobre a multa a aplicar ao banco alemão pela conduta alegadamente incorreta na venda de produtos de investimento compostos por hipotecas subprime (crédito à habitação de alto risco) durante a crise financeira de 2008. Fonte oficial contactada pelo jornal não comentou, mas a Bloomberg adianta que as negociações vão prosseguir, citando uma fonte conhecedora do assunto.

A informação de que as autoridades americanas queriam multar o Deutsche Bank num valor recorde de 14 mil milhões de dólares fez tremer os mercados e voltou a colocar o maior banco alemão debaixo dos holofotes dos investidores pelas piores razões. A ponto do ministro das Finanças alemão ter vindo a público queixar-se de que se fala demais do Deutsche Bank.

Wolfgang Schaeuble, que no final de junho chegou a falar num segundo resgate a Portugal — afirmação depois corrigida — optou por não fazer comentários sobre a reunião entre o presidente do banco alemão e o departamento de justiça americano. “Há demasiada conversa”, sobre o Deutsche Bank, justificou, citado pela Bloomberg.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O banco alemão têm uma provisão constituída de 5,5 mil milhões de euros para responder a multas em processos judiciais ou regulatórios, O valor pode revelar-se demasiado curto perante o número avançado pelas autoridades dos Estados Unidos que os gestores têm procurado baixar, através de negociações como fizeram outros bancos europeus.

O Deutsche Bank avançou ainda com pedidos de indemnização aos anteriores presidentes executivos, Anshu Jain e Josef Ackermann, a quem terá congelado o pagamento dos bónus, avança também a edição de domingo do Bild.