Numa entrevista ao Diário de Notícias, Carmona Rodrigues admite que vê Assunção Cristas como a líder ideal para Lisboa e que já lhe disse que apoiaria a sua candidatura.

O antigo autarca — que venceu Lisboa com a maior votação de sempre para o PSD (apesar de ser independente) — afirmou que apoia o CDS nas próximas eleições autárquicas. Carmona considera que Assunção Cristas é uma “pessoa jovem, corajosa, que fez um trabalho excelente como ministra e de forma muito eficaz”.

[Assunção Cristas] preenche muito o espaço do centro-direita. Mais valia os partidos dessa área reconhecerem nela uma grande candidata.

Em relação a Fernando Medina, com quem tem uma relação pessoal, Carmona acredita que a equipa do candidato será composta por “carreiristas partidários” que não trazem “nenhum aporte” à cidade.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para o antigo presidente da CML a “liderança é importante”, bem como a imagem, a confiança e a personalidade e é por isso que se revê “na candidatura de Assunção Cristas”. Carmona Rodrigues revela que já lhe falou e que deu o “nome para a apoiar”. Apesar disso não pretende intervir na campanha da candidata do CDS.

Nesta mesma entrevista, Carmona refere que tanto na gestão de António Costa como na de Fernando Medina houve uma “obsessão de deitar a mão a tudo”. No entanto considera que no tempo de António Costa “pouco se fez — talvez para poupar dinheiro ou por medo de ser criticado… ou porque, como se diz, já estava mais preocupado com outras coisas”. Já Fernando Medina “parece que tem excesso de dinheiro” uma vez que “tem tido intervenção até de mais”.