Há quem ainda lhes chame de albergue, mas é o estrangeirismo que está a ganhar espaço no vocabulário dos turistas. Os hostels são as alternativas para quem não traz muito dinheiro no bolso e para quem gosta de conviver e conhecer pessoas novas sem grandes formalidades. Mas nem por isso peca pela qualidade do serviço: as instalações são quase sempre modernas, o atendimento costuma ser personalizado e o conforto é condição sine qua non para os donos destes estabelecimentos.

Os hostels estão a crescer pela Europa fora, alguns deles com particular atenção do consumidor. Por um preço acessível, oferecem zonas comuns espaçosas e temáticas, cozinha ou restaurante bem equipados e criativos, quartos para todos os gostos. Isto mesmo é o que a blogger Kash Bhattacharya escreve na sua página “Budget Traveller“. Ela viaja de mochila às costas pelo continente fora e com dinheiro limitado na carteira: a missão é divertir-se o máximo que puder com o mínimo de moedas no bolso. Conseguiu e mostrou ao The Guardian onde passou as melhores noites da sua aventura. Na lista está uma cama portuguesa: é o Tattva Design no Porto.

Conheça este e outros hostels – os dez mais luxuosos da Europa – na fotogaleria.