289kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Nuvens hexagonais: o mistério do Triângulo das Bermudas pode ter uma explicação científica

Este artigo tem mais de 4 anos

Investigadores avançam uma explicação científica que pode desvendar o mistério em torno dos desaparecimentos no Triângulo das Bermudas. As nuvens hexagonais provocam ventos de 274 km/h.

As nuvens hexagonais (assinaladas a vermelho) podem ser responsáveis pelos ventos fortes que se registam na região
i

As nuvens hexagonais (assinaladas a vermelho) podem ser responsáveis pelos ventos fortes que se registam na região

Science Channel

As nuvens hexagonais (assinaladas a vermelho) podem ser responsáveis pelos ventos fortes que se registam na região

Science Channel

Os misteriosos desaparecimentos de aviões e barcos no “Triângulo das Bermudas” podem ter agora uma explicação científica. Um grupo de investigadores que estuda fenómenos meteorológicos descobriu a existência de nuvens hexagonais na região que podem causar “bombas de ar” capazes de derrubar aviões e barcos. Pode ficar assim desfeito um dos maiores mistérios (ou mitos) de sempre.

Estas formações hexagonais de nuvens, que podem dar origem a ventos de 274 quilómetros por hora, “são, na essência, bombas de ar”, explica o investigador Randy Cerveny no programa What’s on Earth, do Science Channel. As nuvens são formadas “por micro-explosões, rajadas de ar que descem rapidamente da parte inferior da nuvem e atingem o oceano, criando ondas que podem ser enormes, à medida que interagem umas com as outras”.

“Tipicamente, não se veem arestas direitas nas nuvens. Habitualmente, as nuvens são aleatórias na distribuição”, explica por sua vez Steve Miller, outro meteorologista envolvido no estudo. As ondas formadas devido a estas nuvens hexagonais podem chegar aos 15 metros de altura, capazes de derrubar navios e fazer cair aviões.

Para analisar os fenómenos abaixo das nuvens, os investigadores utilizaram sinais de radar emitidos através de satélite. “As imagens do satélite são bizarras”, destaca Randy Cerveny, referindo-se às “formas hexagonais das formações das nuvens”.

No Triângulo das Bermudas, uma área de 500 mil quilómetros quadrados situada entre a Bermuda, Porto Rico e Miami, já desapareceram pelo menos 75 aviões e centenas de barcos, e já morreram cerca de mil pessoas em acidentes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.