O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, mostrou-se esta quinta-feira satisfeito com o facto de o Governo ter encontrado uma alternativa ao chumbo da redução da TSU junto dos parceiros sociais. Assim, o acordo de Concertação Social “continua vivo”, comentou Marcelo.

Referindo-se ao briefing de António Costa aos jornalistas em que anunciou que a redução do Pagamento Especial por Conta (PEC) é mesmo a alternativa ao chumbo da redução da TSU, Marcelo sublinhou o facto de não ser necessário desenhar um novo acordo na Concertação Social. “Aquilo que eu soube é que vai haver uma adenda ao acordo. Portanto, o acordo não estava morto, estava vivo”, declarou o Presidente da República no final de uma cerimónia na Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), em Lisboa.

O chefe de Estado lembrou, tal como já tinha feito António Costa, que “os mesmos que tinham subscrito o acordo subscrevem esta adenda, esta substituição, se quiserem, de medidas” e elogiou também o facto de esta alternativa contar com o apoio dos partidos à esquerda. “Portanto, isto dá um bocadinho de razão àquilo que eu dizia a certa altura, que a procissão ainda ia no adro, que até esperar pelo fim do processo faltava algum tempo”, considerou.