O Presidente do México condenou as declarações de Donald Trump sobre a construção do muro na fronteira entre os dois países e ainda sobre a aplicação de uma nova política de imigração. E reagiu pouco depois num vídeo onde responde a cada uma das intenções do Presidente norte-americano.

Sobre o muro, lamentou a decisão e reiterou que o México não o irá pagar. “Lamento e reprovo a decisão dos Estados Unidos de continuar a construção de um muro que há anos nos divide em vez de nos unir. O México não acredita em muros”, afirmou Enrique Peña Nieto, na mensagem transmitida pela televisão nesta quarta-feira à noite. E, sobre as medidas que visam os imigrantes, o chefe de Estado mexicano foi mais duro: já ordenou ao seu gabinete dos negócios estrangeiros que reforce as medidas de proteção aos mexicanos, prestando-lhes até assessoria legal – e, se for preciso, está disposto a converter os 50 consulados em solo americano numa espécie de postos de defesa dos direitos dos seus compatriotas. “Onde houver um mexicano em risco que exiga a nossa proteção, nós estaremos lá”, reforçou.

Num vídeo de 2:42 minutos, Enrique Peña Nieto responde com alguma dureza às posições manifestadas pelo presidente dos Estados Unidos, e deixa em aberto a possibilidade de cancelar o encontro previsto com Donald Trump no próximo dia 31 de Janeiro. A agenda dessa reunião prevê vários temas, como é o caso da emigração, da segurança e do comércio.

Recorde-se que Donald Trump assinou na quarta-feira a ordem para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México, garantindo que vai iniciar-se “em meses”, que o planeamento do projeto será feito “de imediato” e insistiu ainda que “em última instância” o custo será “reembolsado pelo México”. Algo que o Presidente mexicano continua a contestar. E sobre os acordos comerciais que envolvem os dois país, e que Trump quer renegociar, Peña Nieto continua a defender a sua importância para a economia e desenvolvimento do país”.