Não é novidade que a comida fast food não faz bem à saúde, ainda assim, o seu consumo não parece estar a diminuir. Agora, na sequência de um novo estudo, podemos acrescer mais um malefício deste tipo de alimentação: os papéis que as envolvem. Segundo conta a The Verge, as caixas e outros produtos em que este tipo de alimentos são embrulhados podem ter substâncias perigosas para a saúde que ‘migram’ para a comida que ingerimos.

Segundo o estudo, publicado na Environmental Science & Technology Letters, estes produtos de papel, que são muitas vezes utilizados para embrulhar alimentos como batatas fritas ou hambúrgueres, contêm produtos químicos que conseguem sobreviver ao calor e à gordura. Outro estudo paralelo confirmou que os químicos migram para a nossa comida, especialmente se esta estiver quente e for gordurosa.

Deste modo, os produtos químicos conseguem resistir tanto ao óleo como à água porque têm laços “muito fortes” com o flúor carbono. Este componente (polifluoroalcalinas) é muito utilizado em tapetes, móveis, canas de pesca, espuma de combate a incêndios ou até panelas anti aderentes. E o laço entre o flúor e o carbono é tão resistente que não se decompõe no meio ambiente. Segundo os testes realizados, o produto químico foi encontrado em todos os materiais recolhidos para análise.

Laurel Schaider, investigador do estudo, revela ainda que as análises feitas a pessoas que vivem perto da fábrica Dupont, e que beberam água contaminada com este tipo de ácido, podem desenvolver vários problemas de saúde, segundo as análises feitas:

  1. Doenças Cardiovasculares
  2. 21 tipos de cancro
  3. Problemas na gravidez, como abortos ou partos prematuros
  4. Doenças neurológicas
  5. Doenças respiratórias
  6. Doenças infecciosas e auto-imunes
  7. Diabetes do tipo 2
  8. Tiroide
  9. Doenças dos rins
  10. Doenças no fígado
  11. Artrite

A equipa que levou a cabo a investigação dos riscos dos papeis utilizados para embrulhar a comida fast food decidiu recolher 400 amostras em 27 restaurantes diferentes e em todas as amostras foram encontrados indícios do químico. A pesquisa foi realizada juntamente com uma equipa da Universidade de Notre Dame.

Environmental Science & Technology Letters

De acordo com este gráfico, todos os papeis analisados que estavam em contacto com comida tinham resíduos do flúor perigoso. Das 27 cadeias alimentares analisadas podemos salientar o McDonalds e a Starbucks.