O eurodeputado polaco Janusz Korwin-Mikke disse na quarta-feira à noite que as mulheres “devem ganhar menos” do que os homens, porque são “mais fracas, pequenas e menos inteligentes”.

O comentário sexista do fundador do partido de extrema-direita e eurocético Coligação para a Renovação da República teve imediatamente resposta de outros membros do Parlamento Europeu, que consideraram as declarações de Korwin-Mikke “insultuosas”. E já foi aberta uma investigação, sob ordem do presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, conta o Politico.

Para justificar o seu ponto de vista, Janusz Korwin-Mikke, que é eurodeputado independente desde 2014, falou do facto de não existirem mulheres entre os 100 melhores jogadores de xadrez, conta o britânico Express. “Sabe quantas mulheres estão nos primeiros 100 jogadores de xadrez? Nenhuma”, disse em resposta à eurodeputada espanhola Iratxe Garcia-Perez.

https://www.youtube.com/watch?v=eMdadrVpPL0

As declarações surgiram num debate em Bruxelas sobre o problema da desigualdade salarial na Europa e de que forma a União Europeia podia contribuir para solucioná-lo. As estimativas indicam que são precisos 70 anos para as mulheres da Europa conseguirem equilibrar o seu vencimento com o dos homens.

Na quarta-feira, a eurodeputada espanhola Iratxe Garcia-Perez disse que “agora sabia que tinha de defender as mulheres europeias de homens como” Korwin-Mikke. E a comissária europeia Vera Jourova disse, no final do debate, que as declarações de Korwin-Mikke tinham sido “uma falta de respeito pelas mulheres”.

Mas esta não é a primeira intervenção polémica de Korwin-Mikke, que já em 2015, foi investigado pelas autoridades polacas depois de ter feito o cumprimento nazi em pleno Parlamento Europeu. No comunicado enviado pelo Parlamento Europeu, lê-se que Korwin-Mikke pode ser penalizado com uma suspensão temporária (tal como já aconteceu no passado).