Bares

Há bar e bar, há ir e voltar: o regresso da Lisbon Cocktail Week

Se o melhor dia para casar é 31 de julho, a melhor semana para beber cocktails é de 21 a 29 de abril, durante a segunda edição da Lisbon Cocktail Week, com roteiros, descontos e concursos associados.

De 21 a 29 de abril, mais de 60 bares lisboetas vão promover o consumo de cocktails clássicos e de autor.

© Humberto Mouco / Edições do Gosto

Autor
  • Tiago Pais

Da mesma forma que o poeta Quim Barreiros assegura que o melhor dia para casar sem sofrer nenhum desgosto é 31 de julho, por razões que elucida na estrofe seguinte do respetivo poema/canção, o Observador está em condições de avançar que a melhor semana para beber cocktails, em Lisboa, é de 21 a 29 de abril, aproveitando a segunda edição da Lisbon Cocktail Week.

Atenção: não se garante imunidade à ressaca nem aos efeitos secundários provocados pelo álcool mas antes um completíssimo roteiro de 62 bares associados ao evento que, durante esse período, entre as 18h e as 23h, disponibilizarão três a quatro cocktails em regime paga-um-bebe-dois. Sendo que — e isto é uma das novidades da próxima edição do evento –um desses cocktails será, obrigatoriamente, um clássico. “O ano passado os cocktails disponíveis eram todos de autor, por isso pedimos aos bares que integrassem os clássicos para permitir que as pessoas tomassem contacto com os Negroni, Old Fashioned e afins”, explica Mário Batista, fundador do evento.

Isto é um negroni, um dos cocktails clássicos que os responsáveis pela Lisbon Cocktail Week querem dar a conhecer ao público. (foto: iStock)

A lista completa dos participantes na Lisbon Cocktail Week — que aumentou em oito bares em relação ao ano passado — pode ser consultada no respetivo site oficial e em mapas e guias que serão impressos e distribuídos durante o evento. Pode adiantar-se, no entanto, que contempla todo o tipo de estabelecimentos: dos clássicos como Foxtrot, Procópio ou A Paródia, a bares de hotel, como os do Ritz, Hotel Mundial, CR7 Corner ou Scale do EPIC Sana, passando por pequenos bares como, Alfaiataria, Baliza ou La Ronera, até algumas das mais recentes novidades da cidade, casos do 1908 Bar, Cobre, RIB – Beef & Wine ou Café Colonial. Todos eles terão também opções para quem quiser participar na festa sem fustigar o fígado. Como? Recorrendo aos mocktails, combinações sem álcool. Os brindes serão acompanhados por programação própria, entre concertos, jantares temáticos ou DJ sets.

O Cobre, na rua do Alecrim, é uma das novidades da edição deste ano da Lisbon Cocktail Week. (foto: © Divulgação)

Tal como aconteceu em 2016, com a vitória do Apple Lovers, servido no Arena Lounge, do Casino de Lisboa, o certame inclui a eleição do melhor cocktail de Lisboa, atribuído por um júri especializado, liderado por Pedro Paulo, barman português que já foi eleito o melhor do Reino Unido. O mesmo júri irá ainda eleger o melhor cocktail sem álcool. E, mais uma vez, também o público terá direito a eleger o seu favorito.

E não é tudo: o evento inclui outro roteiro, o Shop & Mix, paralelo ao dos bares e restaurantes, que indica os melhores locais para comprar o material necessário à criação de cocktails caseiros. Esse roteiro será revelado mais perto de 21 de abril.

Na edição do ano passado, este Apple Lovers ganhou o título de melhor cocktail de Lisboa. (foto: Humberto Mouco / Edições do Gosto)

Igualmente importante é a data de 27 de abril, quando ocorrerá a Masterclass (dirigida a profissionais) dada por um dos mais reputados profissionais desta área a nível mundial: Ryan Chetiyawardana, mais conhecido por Mr. Lyan. Para se ter uma ideia da sua criatividade e grau de inovação bastará dizer que num dos seus bares, o White Lyan, não se usam frutas, gelo, quaisquer produtos perecíveis nem bebidas alcoólicas que não sejam produzidas no próprio bar. Promete.

O quê? Lisbon Cocktail Week
Quando? De 21 a 29 de abril
Onde? Em 62 bares e restaurantes de Lisboa
Site: lisboncocktailweek.pt; facebook.com/lisboncocktailweek

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)