A Corticeira Amorim anunciou esta terça-feira um investimento de dez milhões de euros no reforço da capacidade de produção, para quatro milhões de metros quadrados, a partir de 2018, de uma gama de pavimentos ‘premium’ lançada há dois anos.

Em comunicado, a empresa de Mozelos, Santa Maria da Feira, explica que a decisão reflete “a grande recetividade do mercado à [tecnologia] Hydrocork em inúmeras geografias, que culminou num crescimento de vendas muito rápido e que faz deste produto um dos que apresenta, na história da Corticeira Amorim, a mais rápida penetração de mercado”. Operacional a partir do início de 2018, a nova linha industrial a criar permitirá à empresa aumentar a capacidade de produção industrial de pavimentos em quatro milhões de metros quadrados, para além de possibilitar o desenvolvimento de um aglomerado de cortiça isento de PVC e com emissões reduzidas de dióxido de carbono. Adicionalmente, a nova tecnologia possibilitará uma gama mais ampla de espessuras, densidades e larguras do material.

“Este investimento visa dotar uma das áreas de negócio mais relevantes da Corticeira Amorim de uma capacidade de resposta robusta às solicitações do mercado. A tecnologia em causa é ainda mais relevante na medida em que potencia os processos de I&D [Investigação & Desenvolvimento] para uma nova geração de compostos de cortiça verdadeiramente inovadores”, afirma o presidente e administrador executivo da Corticeira Amorim, António Rios de Amorim.

Segundo a empresa, o “forte crescimento” da gama de pavimentos Hydrocork assenta em “vantagens competitivas” como o facto de ser à prova de água, ter uma reduzida espessura e ser de fácil e rápida instalação. Características a que se juntam as características da tecnologia Corktech, designadamente o isolamento térmico e acústico, bem-estar corporal, conforto e resistência ao impacto, e o facto de a gama Hydrocork apresentar uma garantia vitalícia para uso doméstico.