Os estudantes do primeiro ano da Universidade de Aveiro (AAUAv) foram convocados para uma atividade de praxe, a realizar esta quarta-feira, na qual eram obrigados a levantar um kit comemorativo no valor de 1,5 euros. O dinheiro adquirido seria utilizado para financiar um encontro nacional de comissões de praxe, marcado para o próximo fim de semana, em Aveiro.

Xavier Vieira, presidente da AAUAv, referiu ao jornal Público que a Praxe de Aveiro tinha pedido um financiamento para o encontro de praxantes à própria universidade, mas que foi recusado. Após ter recebido ao longo desta quarta-feira dezenas de emails e telefonemas de indignação provenientes de vários caloiros, o presidente também se mostrou descontente.”Como é que podem obrigar os estudantes a dar 1,5 euros a uma comissão que nem sequer existe fiscalmente?”, questiona Xavier Vieira.

O jornal Público avança ainda que Manuel Assunção, reitor da Universidade de Aveiro, manifestou a sua opinião, relembrando que, apesar do levantamento do kit ser obrigatório, a participação na praxe não é. “Na Universidade de Aveiro está garantido o princípio da tolerância e da liberdade de escolha” assegura o reitor, acrescentando: “Quando os estudantes decidem aderir à praxe não podem vir perguntar se eu concordo ou não com os princípios da praxe”. Há cerca de três anos que Manuel Assunção está afastado da Comissão de Praxe por ter sido por ela desautorizado, relembra ao jornal.