Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já se sabia que tinha sido indiciado por cinco crimes, soube-se agora, ao final da tarde deste sábado, que uma das acusações passa de homicídio simples para qualificado — em vez de uma pena máxima de prisão de 16 anos, Luís Pina pode arriscar uma condenação a 25 anos.

Por considerar que, entre outros, existe perigo de fuga e de perturbação de inquérito, a juíza responsável decretou a medida máxima de coação e o adepto dos No Name Boys suspeito de ter atropelado mortalmente o italiano Marco Ficini na madrugada do passado sábado vai ficar em prisão preventiva.

Luís Pina, adepto dos No Name Boys, uma claque que apoia o Benfica, é suspeito de ter atropelado mortalmente Marco Ficini na madrugada do último sábado, junto ao estádio da Luz. Está indiciado por homicídio simples, o atropelamento do adepto italiano da Fiorentina e simpatizante do Sporting. A Luís Pina deverão também ser imputados outros quatro crimes, de tentativa de homicídio.

De acordo com a SIC, o adepto, que esta tarde foi ouvido no Campus de Justiça de Lisboa durante 1h30, terá tentado atropelar ainda outros quatro sportinguistas junto à Luz, na madrugada de 22 de abril, segundo o que será visível através das câmaras de vigilância do estádio. Ao contrário de Ficini, essas quatro pessoas terão conseguido afastar-se do carro que, alegadamente, Pina conduzia na altura.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR