https://www.youtube.com/watch?v=2MEUMTyL7eo

O nome do produto é “Gravity”. E é vendido como um cobertor “premium” – ou não custasse 279 dólares a quem nele se desejar enrolar. O que faz? “Aumenta os níveis de serotonina e melatonina, diminui a quantidade de cortisol, melhora o seu estado de espírito e promove um sonho reparador. A solução ideal para o stress, a ansiedade e a insónia”, lê-se na pagina onde é vendido o “Gravity”.

Certo. Mas como é que o cobertor conseguirá tudo isso sendo… apenas um cobertor? Simples: através do peso. Está disponível em três versões: de sete, nove e 11 quilos. O próprio site da Gravity cita dois estudos sobre a influência do peso da roupa de cama para combater a ansiedade. Um deles é do Massachusetts Institute of Technology e nele se lê que produtos semelhantes “há muitos anos são utilizados para prevenir ataques de pânico em pacientes com autismo”. Outro estudo, este da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, explica que 78% dos 30 participantes que utilizaram o cobertor afirmaram sentir uma ansiedade menor.

Não sabemos se é verdade ou não, se reduz a ansiedade e acaba com a insónia ou não. Uma coisa é certa: é um sucesso de vendas. Quando o produto surgiu, surgiu através da plataforma de crowdfunding Kickstarter. Objetivo? Angariar vinte mil euros. Menos de um mês depois, conseguiu angariar bem mais: quatro milhões de euros e vinte mil compradores.

Caso seja “banha da cobra” e os compradores continuem sem dormir, o stress vai aumentar e as insónias também. Afinal, acabaram de comprar um cobertor por 279 dólares. E pesado, muito pesado.