A Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) apresentou esta quinta-feira o programa do sétimo encontro anual da Fundação, que se realiza no dia 30 de setembro, no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa. Tema: a Igualdade.

Em que pé está a Igualdade? Impactos, Conflitos e Desafios pretende ser um debate em torno de um tema sobre o qual “existe uma grande tensão na sociedade”, nas palavras do consultor científico do evento, Fernando Alexandre, professor da Universidade do Minho. Na apresentação que decorreu esta manhã, no Espaço Fidelidade Arte Contemporânea no Largo do Chiado, foram abordadas as diferentes vertentes de um problema que envolve todos os setores da sociedade e tem sido, nos últimos anos, um assunto na ordem do dia, nomeadamente junto de empresários e governantes.

O Diretor-Geral da Fundação, David Lopes, salientou que o evento conta com uma lista de convidados importantes, com obra feita na reflexão ética, social, economia e política da (des)igualdade. Na lista de preletores estão nomes da filosofia política contemporânea, tais como Pierre Rosanvallon e Philippe Van Parijs; economistas de renome, nacionais e internacionais, tais como Branko Milanovic, Richard Baldwin e Ana Rute Cardoso; historiadores, dos quais se destaca Gregory Clark; e reputados nomes das artes e literatura, tais como Gonçalo M. Tavares, Os Espacialistas e Richard Zimler.

A ativista norte-americana Ruby Bridges, que ficou conhecida por ser a primeira criança afro-americana a frequentar uma escola de brancos no Sul dos Estados Unidos, contará a sua (incrível) história no encerramento do encontro. O programa completo pode ser consultado neste link.

David Lopes garantiu que no final de cada painel vai haver espaço para perguntas e respostas e explicou que os intervalos entre cada sessão são propositadamente longos, para garantir tempo para troca de ideias e estabelecer relações.

No pós-debate, será ainda possível assistir, em direto, ao programa Governo Sombra, com Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia, João Miguel Tavares e Carlos Vaz Marques.

Este 7º encontro da FFMS, que pretende ser um debate dirigido para a sociedade civil, vive de aparentes contradições que são, na prática, uma provocação. Realiza-se num Teatro com apenas 800 lugares disponíveis, com uma história desde há muito ligada às elites e terá como idioma principal o inglês (isto porque a esmagadora maioria dos convidados são estrangeiros). Além disso, acontece no dia anterior às eleições autárquicas – 1 de outubro.

A entrada está limitada aos 800 lugares do Teatro mas será transmitido, em direto, pela internet. Os bilhetes custam 20€ (apenas 5€ para estudantes) — inclui o almoço na Cervejaria Trindade — e podem ser adquiridos no site da Fundação.

A conferência de imprensa desta manhã foi aproveitada também para apresentar o oitavo número da Revista XXI, Ter Opinião, que puxa para capa o tema “Igualdade. É Possível? E é desejável?”. Segundo a Diretora Editorial da revista, Bárbara Reis, trata-se de uma edição preparatória do evento, com publicações para fazer pensar sobre o debate de setembro. A nova revista estará à venda a partir desta sexta-feira por 6,5€.