Anthony Scaramucci foi nomeado diretor de comunicação da Casa Branca faz cinco dias e desde então várias têm sido as promessas de apanhar os autores pelas fugas de informação da administração de Trump. Na quarta-feira foi a vez de o próprio estar envolvido numa fuga de informação.

Tudo começou com um telefonema feito pelo próprio Scaramucci ao jornalista Ryan Lizza, da The New Yorker, que tinha feito uma publicação no Twitter a dar conta de um jantar entre o diretor de comunicação, o Presidente Donald Trump, a primeira dama, Sean Hannity, da Fox News, e o ex-executivo da mesma estação Bill Shine.

Chateado, Scaramucci perguntou-lhe quem tinha divulgado informação sobre esse jantar e as pessoas presentes. O jornalista não revelou a fonte, o que acabou por enfurecer Scaramucci que prometeu “eliminar toda a gente da equipa e começar de novo”. “Todos serão demitidos por mim.” De acordo com o repórter, o agora diretor de comunicação está convencido de que estas fugas de informação são sinal de que os seus rivais dentro da Casa Branca estão a conspirar contra ele.

A conversa continuou e Scaramucci fez várias acusações ao chefe de Estado Reince Preibus e ao diretor estatégico Steve Bannon. “Reince Priebus será convidado a resignar brevemente“, garantiu. Mas não foi só. Scaramucci acusa-o de ser um “maldito esquizofrénico, paranoico” e desafiou-o a provar que não está a contribuir para as fugas de informação na Casa Branca.

Se ele quer explicar que não é ele que divulga informação, deixem-no fazê-lo”, disse.

As críticas foram depois dirigidas ao diretor estratégico Steve Bannon, que, segundo Scaramucci, está a trabalhar na Casa Branca “para servir os próprios interesses”. “I’m not trying to suck my own cock” (“Não estou a tentar chupar o meu próprio *******”), disse numa linguagem apelidada já de obscena pela imprensa. Scaramucci queixou-se ainda de Priebus tê-lo impedido de obter um emprego na Casa Branca até agora.

Não estou a tentar construir a minha imagem a partir da p*** de força do Presidente. Estou aqui para servir o país”, rematou Scaramucci.

Linguagem obscena? Scaramucci diz que é “linguagem colorida”

A imprensa norte-americana acusa-o de usar linguagem obscena. Scaramucci respondeu a essas críticas no seu Twitter onde recusou essa acusação e defendeu-se, dizendo que “utiliza linguagem colorida“.

Mas Scaramucci foi mais longe. Arrependeu-se da entrevista que deu e confessou também no Twitter ter sido um erro confiar nesse jornalista. Ryan Lizza garante que Scaramucci não quis falar off the record.

Linguagem usada por Scaramucci não passa despercebida

Alguns utilizadores no Twitter não deixaram escapar algumas das afirmações de Scaramucci e já circulam alguns memes.

A semana passada, Sean Spice, o secretário de imprensa da Casa Branca e um grande aliado de Priebus, demitiu-se como forma de protesto pela contratação de Scaramucci ao prever que iria trazer um grande caos.

Sean Spicer, o porta-voz de Donald Trump que apresentou “factos alternativos”, demite-se