“O português Pedro Neto vai para a Lazio numa operação que supera os 25 milhões. O Barça podia ter contratado o jogador por um milhão há quatro meses. Vão arrepender-se”, escrevia ontem de manhã no Twitter o jornalista do Sport Albert Rogé. Quanto à última premissa, só mesmo o tempo poderá ou não confirmar; em relação a tudo o resto, esta é apenas mais uma informação que confirma o rótulo de maior transferência deste mercado, no binómio jogadores em causa-preço envolvido.

Sobrinho de Sérgio Lomba (ainda se lembra, passou pelo Gil Vicente, pelo Moreirense e pelo Penafiel, entre outros), Pedro Neto já era destaque na Catalunha em maio, quando mereceu uma página da edição em papel do jornal Sport. “A pérola portuguesa que recusou uma oferta do Barcelona e de Mourinho”, tinha a peça como título. Dizia que era uma das grandes promessas do futebol português aos 17 anos, que tinha passado pelas instalações de Barça e Manchester United, mas que, segundo o pai, também Pedro Neto, nunca tinha chegado uma oferta concreta.

António Salvador, líder dos arsenalistas, também teve um papel determinante, ao garantir que o melhor seria ficar no Sp. Braga. “Foi um jogador que já tínhamos perdido, que estava fora de Portugal, que os os grandes da Europa iam atrás. Gastei muitas horas a tentar convencer a família que o melhor era ficar em Braga”, destacou. E passados três meses, o ala esquerdo que passou por Vianense e Perspetiva em Jogo antes de chegar ao Sp. Braga, saiu mesmo do clube e para a Lazio. Mas por quanto, afinal? E em que modelo?

Segundo a comunicação da SAD dos minhotos à CMVM, a Lazio irá pagar 7,5 milhões fixos por um empréstimo de dois anos mais cinco milhões “condicionados à verificação de objetivos”. A isso acresce ainda a obrigatoriedade de compra do passe de 4,5 milhões no final dos dois anos de cedência temporária, caso os italianos não sejam despromovidos à Série B. Ou seja, cumprindo-se os valores variáveis são 17 mihões de euros.

Para Roma seguiu também Bruno Jordão, de 18 anos, avançado que era tido como uma das maiores promessas do futebol nacional, depois de se ter estreado pelos seniores da U. Leiria com apenas 16 (foi também internacional nas seleções mais jovens). E aqui o fenómeno é ainda maior – ao contrário de Neto, o dianteiro nunca chegou a jogar pela equipa principal dos bracarenses, tendo realizado dois golos em 19 jogos na equipa B.

Neste caso, o negócio poderá atingir os 8,5 milhões de euros: quatro milhões fixos pela cedência por empréstimo nas próximas duas temporadas; dois milhões variáveis; e mais 2,5 milhões da cláusula obrigatória de compra.

E, no verão de 2019, o Sp. Braga pode ter recebido um total de 25,5 milhões de euros por dois jogadores ainda semi-desconhecidos em Portugal, mas que querem deixar marca no estrangeiro ao lado de Nani, o outro português que reforçou a Lazio no último dia do mais louco de todos os mercados de transferências. E quer saber uma curiosidade: 25,5 milhões de euros foi quanto o Manchester United pagou em 2007 para juntar Nani a Cristiano Ronaldo…