A Secretaria de Estado do Emprego considerou irregular a marcação da greve dos enfermeiros agendada para a próxima semana, mas o sindicato afirma que mantém a paralisação e vai fazer uma queixa ao Departamento de Investigação e Ação Penal.

Enfermeiros de quatro especialidades querem entregar títulos em protesto

Um ofício da Secretaria de Estado do Emprego, que está divulgado no site da Administração Central e do Sistema de Saúde (ACSS), indica que o pré-aviso de greve dos enfermeiros não cumpriu os dez dias úteis que determina a lei.

Assim, a paralisação é considerada “irregularmente convocada”, indica o ofício, que dá conta de que o pré-aviso tem data de 28 de agosto para uma greve que se iniciaria às 00h00 de 11 de setembro, próxima segunda-feira.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Sindicato dos Enfermeiros garante que o pré-aviso está datado de 25 de agosto, “como comprovam as declarações feitas à comunicação social”.

José Azevedo disse ainda que o Sindicato vai apresentar ao Departamento de Investigação e Ação Penal uma queixa por má-fé contra o secretário de Estado do Emprego.

A greve dos enfermeiros mantém-se, afirmou à Lusa o presidente do Sindicato, ocorrendo entre as 00:00 de 11 de setembro e as 24:00 de 15 de setembro.

Os enfermeiros reivindicam a introdução da categoria de especialista na carreira de enfermagem, com respetivo aumento salarial, bem como a aplicação do regime das 35 horas de trabalho para todos os enfermeiros.