O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, criticou esta terça-feira, em Coimbra, o aumento do populismo no espaço europeu e defendeu que se tem de evitar que a Europa “se feche sobre si própria”.

O presidente da Comissão Europeia lamentou que “até partidos tradicionais” se tenham transformado em partidos “populistas”, quando questionado sobre o aumento do populismo na Europa, num debate em Coimbra.

No debate “Futuro da Europa – Que Europa queremos?”, Jean-Claude Juncker afirmou que “gostaria que a Europa permaneça um continente aberto para os refugiados”.

“Apesar das lacunas, devemo-nos orgulhar da Europa”, vincou Jean-Claude Juncker, que falava no Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra, num debate em que também participou o primeiro-ministro, António Costa, e o comissário europeu responsável pela Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas.