Rádio Observador

Benfica

PJ investiga ligações entre responsáveis do Benfica e dirigentes da estrutura do futebol

831

Revista Sábado centra-se num email em vésperas de final da Liga Europa de 2014 como exemplo das razões que motivaram a investigação da Unidade Nacional Contra a Corrupção da PJ ao Benfica.

Inspetores da PJ fizeram buscas no passado dia 19 de outubro na Luz e em várias casas particulares

Inácio Rosa/LUSA

A Sábado teve acesso a vários emails internos do Benfica que estarão ligados às buscas realizadas por inspetores da Polícia Judiciária ao Estádio da Luz e a algumas casas particulares (Luís Filipe Vieira, Paulo Gonçalves, Pedro Guerra, Adão Mendes, Nuno Cabral e Ferreira Nunes), assegurando que a Unidade Nacional Contra a Corrupção da PJ investiga as ligações entre responsáveis dos encarnados e dirigentes de várias estruturas do futebol português.

“Os factos sob investigação respeitam à suspeita da atuação de responsáveis do SLB SAD que, em conluio com personalidades do mundo do futebol e da arbitragem, procuraram exercer pressão e influência junto de responsáveis da arbitragem e outras estruturas de decisão do futebol nacional, tendo em vista influir na nomeação e classificação de árbitros nesse âmbito”, defendiam os mandados de busca dos inspetores da PJ.

Através dessa correspondência interna, a publicação dá alguns exemplos do tipo de relação existente. Como quando João Pedro Dias, antigo delegado da Liga que tinha sido suspenso por ano e meio por falsificação de relatório num caso ocorrido na Luz em 2009 entre Nuno Gomes, Paulo Gonçalves e o árbitro Pedro Henriques, pede dois bilhetes para um jogo do Benfica à direção comercial do clube. “Desenrasca, por favor (…) Safou-me a mim e ao Nuno Gomes de uma sanção, mas lixou-se. É boa gente, benfiquista indefetível”, responde o assessor jurídico dos encarnados, Paulo Gonçalves, que transformou o pedido em convite. Há ainda outros casos semelhantes com o ex-líder do Conselho de Disciplina, Herculano Lima, ou os convites para a final da Liga Europa de 2014.

Aí, segundo a Sábado, Paulo Gonçalves terá feito uma lista de pessoas que tinham “de alguma maneira ajudado a alcançar” as pretensões das águias ou “ajudado o SLB no passado”. Andreia Couto, funcionária da Liga de Clubes, Nuno Cabral, antigo delegado da Liga, e Emídio Fidalgo, “responsável pela nomeação dos delegados da Liga e decisivo nos pareceres que emitiu”, foram alguns dos que tiveram direito a esse convite.

Há ainda um ponto novo que advém das próprias buscas da PJ e que tem a ver com a procura de documentação financeira e registos documentais das contas correntes da Benfica SAD com sociedades de advogados como a Vieira de Almeida e Associados, o que terá provocado alguma surpresa. Uma fonte ligada à investigação disse à Sábado que “está a ser pesquisada a hipótese de terem sido realizados pagamentos indiretos de clube/SAD através de prestação de serviços jurídicos a ex-árbitros e outros responsáveis ligados à arbitragem”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)