A Sábado teve acesso a vários emails internos do Benfica que estarão ligados às buscas realizadas por inspetores da Polícia Judiciária ao Estádio da Luz e a algumas casas particulares (Luís Filipe Vieira, Paulo Gonçalves, Pedro Guerra, Adão Mendes, Nuno Cabral e Ferreira Nunes), assegurando que a Unidade Nacional Contra a Corrupção da PJ investiga as ligações entre responsáveis dos encarnados e dirigentes de várias estruturas do futebol português.

“Os factos sob investigação respeitam à suspeita da atuação de responsáveis do SLB SAD que, em conluio com personalidades do mundo do futebol e da arbitragem, procuraram exercer pressão e influência junto de responsáveis da arbitragem e outras estruturas de decisão do futebol nacional, tendo em vista influir na nomeação e classificação de árbitros nesse âmbito”, defendiam os mandados de busca dos inspetores da PJ.

Através dessa correspondência interna, a publicação dá alguns exemplos do tipo de relação existente. Como quando João Pedro Dias, antigo delegado da Liga que tinha sido suspenso por ano e meio por falsificação de relatório num caso ocorrido na Luz em 2009 entre Nuno Gomes, Paulo Gonçalves e o árbitro Pedro Henriques, pede dois bilhetes para um jogo do Benfica à direção comercial do clube. “Desenrasca, por favor (…) Safou-me a mim e ao Nuno Gomes de uma sanção, mas lixou-se. É boa gente, benfiquista indefetível”, responde o assessor jurídico dos encarnados, Paulo Gonçalves, que transformou o pedido em convite. Há ainda outros casos semelhantes com o ex-líder do Conselho de Disciplina, Herculano Lima, ou os convites para a final da Liga Europa de 2014.

Aí, segundo a Sábado, Paulo Gonçalves terá feito uma lista de pessoas que tinham “de alguma maneira ajudado a alcançar” as pretensões das águias ou “ajudado o SLB no passado”. Andreia Couto, funcionária da Liga de Clubes, Nuno Cabral, antigo delegado da Liga, e Emídio Fidalgo, “responsável pela nomeação dos delegados da Liga e decisivo nos pareceres que emitiu”, foram alguns dos que tiveram direito a esse convite.

Há ainda um ponto novo que advém das próprias buscas da PJ e que tem a ver com a procura de documentação financeira e registos documentais das contas correntes da Benfica SAD com sociedades de advogados como a Vieira de Almeida e Associados, o que terá provocado alguma surpresa. Uma fonte ligada à investigação disse à Sábado que “está a ser pesquisada a hipótese de terem sido realizados pagamentos indiretos de clube/SAD através de prestação de serviços jurídicos a ex-árbitros e outros responsáveis ligados à arbitragem”.