Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Quando estendeu a passerelle vermelha pela primeira vez em 95, num evento humilde no Plaza New York, a Victoria’s Secret era uma marca acabada de atingir a maioridade. Tinha surgido porque Roy Raymond tinha vergonha de comprar lingerie para a mulher, Gaye, nas lojas que existiam nos anos 70. Não gostava dos robes cheios de flores que estavam na moda e sentia-se “um intruso”, como o próprio descreveu numa entrevista à Newsweek, sempre que pegava num soutien para oferecer à mulher.

Em 77, oito anos mais tarde, 40 mil dólares emprestados pelos pais e outros tantos emprestados pelo banco, Roy Raymond abriu uma loja de roupa interior onde os homens pudessem entrar sem preconceitos. Decidiu chamar-lhe “Victoria” para herdar “o requinte” na Rainha Vitória. Mas teria de esperar ainda mais 18 anos para organizar um evento de apresentação.

Não havia anjos porque ninguém usava asas, a maquilhagem e os penteados não eram especialmente memoráveis e entre os convidados estavam, essencialmente, possíveis compradores. Mas o primeiro desfile da Victoria’s Secret não foi completamente desprovido de fama: participaram nomes sonantes como as modelos Beverly Peele, Veronica Webb e Frederique van der Wal.

A também modelo Stephanie Seymour foi a anfitriã: apareceu com vestidos de inspiração asiática ou de roupa interior que, se não fosse tão reveladora, tinha sedas brancas suficientes para se confundirem com um vestido de noiva. E o véu foi o objeto mais flamboyant em palco naquela noite, que estava recheado de cuecas aveludadas, robes a imitar os quimonos e soutiens push-up.

Veja na fotogaleria 26 imagens do primeiro desfile da Victoria’s Secret, no dia em que a mais famosa marca de lingerie regressou pela 22ª vez aos palcos para apresentar as novas coleções.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR