José Paulo Pinto de Sousa, primo de José Sócrates, foi notificado esta sexta-feira em Portugal pelo Ministério Público da acusação da Operação Marquês, processo no qual foi acusado formalmente, avança a SIC. O primo do ex-primeiro ministro tem residência em Angola e houve tentativas para que fosse notificado nesse país, mas infrutíferas.

A Autoridade Tributária estava a investigar há pelo menos quatro meses uma entrada do empresário em Portugal e esta sexta-feira o Ministério Público conseguiu finalmente notificá-lo da acusação onde lhe foi imputada a alegada prática de dois crimes de branqueamento de capitais. Pinto de Sousa está em liberdade, mas com termo de identidade e residência, tendo de avisar as autoridades caso queira sair do país.

De acordo com a acusação da operação Marquês, José Sócrates terá tido alegadamente dois testas de ferro. O primeiro terá sido José Paulo Pinto de Sousa, antes da entrada em cena do amigo Carlos Santos Silva. De acordo com a tese da acusação, o primo do antigo líder do partido socialista é suspeito de alegadamente ter permitido a passagem de fluxos financeiros pelas suas contas bancárias que visavam alegadamente corromper José Sócrates.